Combate ao abandono escolar – Ensino Profissional é um dos “instrumentos mais eficazes”

0
15
DR

O presidente do PSD/Açores considera o Ensino Profissional como a melhor forma de combate ao abandono escolar nos Açores, pelo que apresentou um conjunto de propostas para melhorar este nível de ensino.

O presidente do PSD/Açores apresentou, na sessão de encerramento do 20.º Congresso da JSD/Açores, um conjunto de propostas para dar um “novo impulso” ao Ensino Profissional na Região, que considerou como um dos “instrumentos mais eficazes” no combate ao abandono e insucesso escolar.
O social-democrata sublinhou a necessidade de “tornar a escola mais atrativa para os jovens, sob risco de uma parte substancial dos alunos da nossa Região abandonarem os estudos”, lembrando que “o insucesso e abandono escolar conduzem à falta de qualificação e ao desemprego”.
O líder do partido referiu que foi divulgado recentemente “um estudo internacional que concluiu que 34,5% dos adolescentes açorianos não gostam da escola”, ou seja, “um em cada três adolescentes não gosta de andar na escola”.
Segundo Alexandre Gaudêncio, “um dos instrumentos mais eficazes no combate ao abandono e ao insucesso escolar são as escolas profissionais”, cuja importância para os alunos e para as empresas é consensual na sociedade açoriana.
“Mas entre as bonitas palavras de quem governa e a realidade das escolas profissionais da nossa Região vai uma grande distância. E o que é nos diz a realidade? Diz-nos que, nos últimos oito anos, houve uma redução de 28% no número de cursos profissionais cuja abertura foi autorizada pelo Governo Regional”, frisou.
O líder social-democrata sublinhou “a realidade também nos diz que, nos Açores, a maioria das escolas profissionais está a funcionar apenas a metade da sua capacidade, embora exista procura para esses mesmos cursos”, defendendo que “tudo isto sucede porque este Governo Regional decidiu impor fortes limitações ao financiamento do ensino profissional.
Gaudêncio frisou ainda que “quem perde com isto são os jovens que não se sentem atraídos pelo ensino regular e gostariam de tirar um curso profissional para entrar no mercado de trabalho”, bem como as empresas, “que não conseguem encontrar técnicos especializados disponíveis para contratar”.
Assim, o PSD/Açores tem por objetivo dar um “novo impulso” ao ensino profissional na Região baseado “em cinco grandes propostas”.
“Assegurar que todas as ilhas e concelhos da nossa Região tenham oferta de formação profissional. Essa oferta deve ser garantida pelas escolas profissionais e, nas ilhas e concelhos onde aquelas não existam, pelas escolas do ensino regular, evitando que haja uma sobreposição de oferta formativa; proceder à abertura de mais turmas nas escolas profissionais”, tendo em conta as características de cada estabelecimento de ensino e de acordo com a procura dos jovens.
O partido propõe igualmente “estabelecer áreas vocacionais em função da realidade social e económica de cada ilha ou concelho, promovendo a especialização das escolas profissionais, e envolver os agentes económicos e a comunidade educativa na definição das ofertas formativas das escolas profissionais”, avançou.
“E, por fim, mas também muito importante, é preciso assegurar, a tempo e horas, o financiamento público necessário ao ensino profissional nos Açores”, afirmou.
Alexandre Gaudêncio acrescentou que o PSD/Açores “não se limita a identificar os problemas do insucesso, abandono escolar e do desemprego jovem, mas apresenta soluções”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO