CORVINO QUE SE DISTINGUIU – JOSÉ MANUEL AVELAR NUNES (1964-….) Funcionário regional e político

0
29

Nasceu na freguesia e concelho da ilha do Corvo em 16 de Março de 1964, filho de Manuel Pedro Nunes Jr. e de Maria Emília de Avelar, ele  agricultor e ela doméstica. 

Depois de fazer o Ensino Primário, concluiu o 6.º ano de escolaridade, ensino esse que procurou valorizar e enriquecer, mediante leituras e trabalhos que tem vindo a realizar. 

Em 1985 entrou para funcionário da Lotaçor – EP, serviço açoriano de lotas de pesca, iniciando assim uma carreira profissional que, anos mais tarde, em 1962, resolveu interromper para se dedicar plenamente à actividade política; em 1985 ingressara no PPD/PSD – Partido Social Democrata, partido que se encontrava no poder nos Açores desde 1976 e que fora o baluarte da instituição da autonomia poltico-administrativa dos Açores. Assim, foi durante vários anos Presidente da Comissão Política da ilha do Corvo, cargo que assumiu em 1996.

Nas eleições autárquicas de 1982 foi eleito, pelas listas do PPD/PSD, vogal à Assembleia Municipal do Corvo. Nas eleições autárquicas de 1986, voltou a ser eleito para aquele órgão autárquico, assumindo então o cargo de Presidente da Mesa da Assembleia Municipal do Corvo, lugar para o qual foi eleito.

Nas eleições regionais de 1992 acaba por se candidatar ao cargo de deputado, pelas listas do PPD/PSD, para o Círculo Eleitoral do Corvo à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, com vista à V Legislatura, tendo sido eleito. Foi a seguir sucessivamente eleito para o mesmo cargo, em 1996 para a VI Legislatura, em 2000 para a VII Legislatura e em 2004 para a VIII legislatura. No ano 2008 perdeu as eleições para novo mandato. Assim, desenvolveu diversos trabalhos úteis para a Região e para a ilha do Corvo, quer no Parlamento, quer no grupo parlamentar ou no partido. Fez parte de várias Comissões permanentes e eventuais, designadamente das seguintes: Juventude e Formação; Organização e Legislação; Assuntos Parlamentares, Ambiente e Trabalho; e “Uma Nova Assembleia para o Novo Século”. 

Entretanto, em 26 de Julho de 1986, casara com Fernanda Manuela Mendonça Xavier Nunes, de cujo casamento nasceram os filhos: Cátia, estudante; e Cláudio, empresário agrícola.

Recentemente soubemos que decidiu apresentar-se como candidato à presidência da Câmara Municipal do Corvo, na expectativa de concretizar os diversos projectos que tem na ideia. Pretende, assim, enriquecer da vida corvina com algumas inovações de que a ilha está ainda carecida. 

Na sua terra natal tem desenvolvido várias actividades de natureza social, designadamente, as seguintes: é irmão da Santa Casa da Misericórdia do Corvo, de que foi Provedor da Mesa Administrativa durante um mandato; como sócio dos Baldios da Ilha do Corvo, foi Presidente do Conselho Directivo, durante vários mandatos; foi encarregado, durante alguns anos, de fazer a venda do gado da ilha para o Parque de Palmela, em representação da Cooperativa Agrícola da Ilha do Corvo; como irmão da Irmandade do Divino Espírito Santo da Ilha do Corvo, foi durante vários anos Mordomo das respectivas Festas; exerceu, por conta própria, actividade de transportes marítimos entre as ilhas das Flores e do Corvo, fazendo-o muitas vezes gratuitamente com vista a projectar a ilha turisticamente; é sócio da “Filarmónica Lira Corvense” e dos “Bombeiros Voluntários da Ilha do Corvo”; tem colaborado em diversas iniciativas locais, designadamente na marcha que na ilha à anos se organizou. 

De feitio simples, faz amigos com facilidade, pelo que é um excelente conversador, designadamente com as pessoas do seu conhecimento. 

Bibl: Leite, J. G. Reis, (2008), “Enciclopédia Açoriana”, (Nunes), Centro de Conhecimento dos Açores, Internet;  “Assembleia Legislativa Regional”, (2001), edição própria; “Biografias dos Deputados da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, 1976-2007”, (2007), p. 3.30, edição própria, Açores 2007; Elementos fornecidos pelo próprio pelo telefone em 10-12-2008; Trigueiro, José Arlindo Armas “Histórias e Gentes da Ilha do Corvo”, 2011, pp. 250 e 251, ed. da Câmara Municipal do Corvo. 
.  
 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO