COVID-19 – Agenda para o Relançamento Social e Económico dos Açores recebe inúmeros contributos

0
15
DR
DR

Desde a sua apresentação por parte do Governo Regional, a anteproposta de Agenda para o Relançamento Social e Económico da Região Autónoma dos Açores já recebeu mais de uma centena de contributos de Açorianos.

Em consulta pública até ao próximo dia 7 de setembro, o documento encontra-se disponível em https://agendarelancamento.azores.gov.pt, e destina-se a contribuir para a recuperação e transformação social e económica da Região nesta nova fase de regresso progressivo à normalidade.

Todos os Açorianos podem participar nesta iniciativa, dando o seu contributo, enviando comentários e sugestões de medidas. Para apoio neste processo de reflexão e de colaboração, o Governo dos Açores disponibiliza o endereço de correio eletrónico agenda.relancamento@azores.gov.pt e a linha verde de apoio ao cidadão 800 500 501.

Trata-se de um documento que assenta em dois grandes pilares – “Relançar a Economia dos Açores” e “Construir uns Açores mais Resilientes” – os quais são sustentados por nove eixos de atuação, numa analogia às nove ilhas dos Açores.

Dos nove eixos de atuação propostos, quatro estão incorporados no primeiro pilar, designado por “Relançar a Economia dos Açores”, nomeadamente “Relançar o Emprego” (21 medidas), “Relançar o Social” (48 medidas), “Relançar as Empresas” (58 medidas) e “Relançar o Turismo” (24 medidas), com o objetivo de fortalecer a sociedade e a economia açoriana para melhor “Construir uns Açores mais Resilientes”, nome do segundo pilar.

Este segundo pilar incorpora cinco eixos, designadamente “Transformar a Economia dos Açores” (48 medidas), “Incrementar a Inovação, a Investigação e o Desenvolvimento” (13 medidas), “Potenciar o Capital Humano e Social” (5 medidas), “Reforçar o Serviço Regional de Saúde” (9 medidas) e “Modernizar a Administração Pública” (24 medidas).

Cada eixo de atuação divide-se em vários subeixos, sob os quais foram desenhadas as medidas, num total de 250, caraterizadas ao nível dos beneficiários e das entidades responsáveis, bem como do âmbito, início, duração de execução e texto descritivo.

Desta forma, os Açorianos ajudam não só a consensualizar a estratégia para um sustentado relançamento social e económico da Região, mas também a potenciar a oportunidade para pensar o futuro dos Açores.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO