Depois de esgotar quatro concertos, Madonna anuncia duas novas datas em Lisboa

0
18

A cantora norte-americana Madonna vai dar mais dois espetáculos no Coliseu de Lisboa nos dias 22 e 23 de janeiro de 2020, depois de esgotar os quatro agendados para 16, 18, 19 e 21, anunciou hoje a promotora.

Os bilhetes para os dois espetáculos serão colocados à venda na próxima sexta-feira, dia 31 de maio, a partir das 10:00.
Segundo a promotora Everything is New, depois de “esgotar em tempo recorde” os três concertos no Coliseu de Lisboa, em apenas 30 minutos, foi adicionada uma quarta data, 21 de janeiro, que esgotou igualmente em pouco tempo, tendo continuado a verificar-se uma enorme procura.
Face a esta demanda, “Madonna acaba de confirmar mais duas datas extra” para concertos, a terem lugar na mesma sala, nos dias 22 e 23 de janeiro de 2020, acrescentou a promotora.
Os membros mais antigos do Clube de fãs de Madonna, Icon, poderão comprar em avanço, através da pré-venda que se realiza a partir das 10:00 de 29 de maio, até às 17:00 de dia 30.
A digressão “Madame X” terá início no dia 12 de setembro deste ano no BAM Howard Gilman Opera House em Nova Iorque, e contará com várias apresentações em cidades norte-americanas, nomeadamente no Chicago Theatre, em Chicago, no The Wiltern, em Los Angeles, no Colosseum at Caesars Palace, em Las Vegas, no Boch Center Wang Theatre, em Boston, no Met Philadelphia e no Fillmore Miami Beach no Jackie Gleason Theatree.
No início de 2020, a digressão europeia “Madame X” arranca no Coliseu de Lisboa, segue no Palladium em Londres e no Grand Rex em Paris.
Os espetáculos desta digressão caracterizam-se por serem atuações mais íntimas, em salas de menor dimensão.

Influenciada criativamente por ter vivido em Lisboa nos últimos anos, “Madame X” – título do álbum que será lançado a 14 de junho e que dá o nome à digressão -, é uma coleção de 15 novas músicas que “celebram o longo romance de Madonna com a música e cultura latina, assim como com outras influências mundiais”.
Dino d’Santiago, Celeste Rodrigues, Fábia Rebordão, Ricardo Toscano, Gaspar Varela e as batucadeiras de Cabo Verde são alguns dos artistas com quem Madonna se cruzou nos últimos meses, a avaliar pelas fotografias e vídeos que tem divulgado nas redes sociais.
Feito com a colaboração do produtor francês Mirwais, o 14.º álbum de estúdio de Madonna – gravado ao longo dos últimos 18 meses em Portugal, Londres, Nova Iorque e Los Angeles – inclui uma versão de “Faz gostoso”, da cantora portuguesa Blaya, que Madonna interpreta em português com a artista brasileira Anitta, e “Medellín”, o primeiro ‘single’, que é um dueto com o músico colombiano Maluma.
Ainda antes do lançamento do álbum, a cantora norte-americana tem partilhado algumas das novas músicas, entre as quais o tema pop “Crave”, que conta com a participação de Swae Lee e produção de Mike Dean, a balada “I Rise”, o “Medellin” e “Future”, o tema revelado na passada sexta-feira, que tem a participação de Quavo.
Para breve está o lançamento de “Dark Ballet”, a ser revelado no dia 07 de junho.
Arthur Fogel o promotor de longa data de Madonna, Presidente da Global Touring e CEO da Global Music, Live Nation, salienta que esta é “a grande oportunidade para os fãs verem Madonna nestas incríveis e especiais salas”.
Em 2018, quando completou 60 anos, Madonna disse numa entrevista à revista italiana Vogue que a temporada recente em Lisboa a influenciou no processo criativo deste álbum.
“Conheci imensos músicos maravilhosos e acabei por trabalhar com muitos deles no meu novo disco, por isso, sim, Lisboa influenciou a música e o meu trabalho. Como não influenciar? Não sei como é que eu teria passado este ano sem ter conhecido toda esta cultura”, disse a cantora norte-americana na entrevista.
O último álbum de originais de Madonna remonta já a 2015, quando lançou “Rebel Heart”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO