Deputado do PS/A Manuel Ramos alerta para a falta de verbas no Orçamento para a rede viária da Graciosa

0
37
DR
DR

“É fundamental que os próximos Planos e Orçamentos Regionais disponibilizem recursos financeiros para uma manutenção adequada e beneficiação da rede viária regional da Graciosa – o que após uma primeira análise aos documentos previsionais não se verifica”, alertou José Manuel Ramos, esta quinta-feira, depois de uma deslocação à estrada que liga a Praia a Santa Cruz.

O deputado do PS/Açores, eleito pela Ilha Graciosa, lamenta que as propostas de Plano e Orçamento, “não tenham verbas alocadas para as duas vias importantes da nossa Ilha, como é o troço da estrada Regional nº3 – troço Guadalupe/Santa Cruz – e o troço da Estrada Regional nº1, que liga o Porto Comercial da Ilha Graciosa à zona Industrial e Santa Cruz”. Realça que esses são investimentos necessários “pelo volume e características do trânsito que circulam nesses troços e que exigem cuidados redobrados na drenagem de águas pluviais e conservação dos pisos”

Manuel José Ramos recorda que “a rede viária regional é uma importante infraestrutura para o desenvolvimento da Ilha Graciosa e que, mesmo numa altura em que já não havia disponibilidade de fundos comunitários para este tipo de intervenção, o Governo do Partido Socialista concluiu a repavimentação de um importante troço, da Estrada Regional Nº1 de 2ª Limeira/Porto Afonso, num investimento que ultrapassou um milhão de euros”

Agora, diz o deputado graciosense, “o atual governo ignora a importância destes projetos, desvalorizando a recomendação do próprio Conselho de Ilha”. Salienta, ainda, “a necessidade de dar continuidade ao planeamento e calendarização provenientes do anterior executivo, porque as necessidades das populações não se alteraram”.

Manuel José Ramos lembra que “os Graciosenses, nas urnas, deram o sim ao projeto do Partido Socialista, pelo que se espera que o atual Executivo seja capaz de reconhecer democraticamente e com a humildade que se impõe, as propostas que o PS tem para a ilha Graciosa”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO