Deputado Independente vê integradas as suas propostas para a Estratégia da Educação para a Década

0
44
blank
Carlos Furtado

Carlos Augusto Furtado –  deputado independente da ALRAA

O desafio de participação com contributos para aquela que será a estratégia da educação para a próxima década, foi lançado pela Secretária Regional da Educação a todas as forças que integram o Parlamento Regional.

Carlos Furtado respondeu com a sua presença, o seu trabalho e as suas visões sobre a educação para o período em causa.

Os principais contributos inicialmente apresentados de forma verbalizada, mas também na sua versão final escrita, situam-se em três fatores determinantes para a melhoria do sucesso do ensino na região.

Assim, o parlamentar apontou a necessidade de promover um maior envolvimento das famílias no contexto de aprendizagem dos alunos nos Açores, com vista a provocar mais interatividade entre alunos, pais e professores.

Outra matéria que mereceu grande destaque nas observações efetuadas, prende-se com a necessidade de proporcionar horas suplementares de apoio educativo para todos os alunos que aceitem participar nestes apoios letivos, para assim poder potenciar-se o valor de cada aluno, procurando-se com esta medida que alunos de médias pautas, possam melhorar as suas notas, facilitando-lhes assim a possibilidade de ingressarem nos cursos superiores, que sejam das suas preferências, tendo o deputado observado que estes alunos são o nosso principal “tesouro” uma vez que os mesmos muito provavelmente voltam à
região, uma vez concluídos os seus estudos, situação esta que se afigura mais difícil em alunos de excelência, uma vez que estes são normalmente incentivados a fazerem as suas vidas em outras paragens, onde as oportunidades de futuro são mais promissoras.

Além destes pontos, o deputado alertou também para necessidade da região passar a dispor dos conteúdos programáticos do ensino em formato de tutoriais em vídeo através de plataformas digitais certificadas, numa fase inicial, nas matérias onde os jovens têm mais dificuldades, sendo este formato gradualmente extensivo a todas as matérias, apontando assim as vantagens deste formato auxiliar de ensino, como indispensável para garantir a universalidade letiva em toda a região, assim como possibilitar o acesso ao conhecimento dos jovens que por motivos de força maior não possam, mesmo que de forma temporária, assistir às aulas em formato tradicional.