Deputados da Representação Parlamentar da Iniciativa Liberal, Nuno Barata termina visita à ilha do Pico

0
47

O Deputado único da Representação Parlamentar da Iniciativa Liberal, Nuno Barata, terminou no passado dia 30 de outubro, uma visita de três dias à ilha do Pico. O Deputado Regional teve a oportunidade de se reunir com os três Presidentes de Câmara, cooperativas e empresas locais, com o objetivo de avaliar as principais preocupações e as reais necessidades das populações, numa unidade geográfica onde a falta de mão de obra é um dos graves problemas atuais.
Apesar do Concelho da Madalena ter sido o único dos 19 dos Açores a crescer em termos demográficos, considerando os censos de 2011 e 2021, na verdade a Ilha também enfrenta esse desafio da falta de mão-de-obra, sem que se afigure uma solução sustentada para o futuro. Na vinha, no denominado canal HORECA, na indústria, todos reclamam mais e melhor mão-de-obra. Por outro lado, é fundamental também advertir as empresas que têm que valorizar os seus ativos condignamente para que possam “vestir a camisola” e trabalharem com gosto e profissionalismo. A melhor estratégia de “team building” que uma empresa pode adotar é pagar justamente o trabalho dividindo assim por todos os seus lucros. É fundamental qualificar pessoas para o mercado de trabalho, mas isso torna-se difícil quando a escola Profissional do Pico se debate com a falta de alunos e uma concorrência em circunstâncias desadequadas e díspares por parte dos cursos profissionais das escolas do ensino regular, nomeadamente na Cardeal Costa Nunes.
Na opinião do Deputado Liberal, a qualificação e formação de ativos é fundamental para garantir a sustentabilidade e a estabilidade da mão de obra nestes setores, associado ao fato de ser de extrema importância as empresas criarem mecanismos de solidificação e permanência dos seus recursos humanos e equipas de trabalho, no período denominado de “época baixa”, de forma a evitar a rotatividade excessiva dos recursos humanos, sem que se crie uma estabilidade de trabalho a longo prazo.

A dificuldade de habitação por parte de casais jovens devido à forte especulação imobiliária que tem vindo a agravar-se nos últimos anos, devido à grande aposta no setor do turismo, foi outra das preocupações mencionadas pelos executivos camarários ao deputado regional.
No setor da agroindústria, o deputado liberal visitou a Cooperativa Leite Montanha e nas suas instalações em reunião de trabalho, Nuno Barata constatou que a valorização do leite através de produtos diferenciadores, como é o caso do queijo de mesa Ilha dos Mistérios, permitem uma entrada segura e premiada no mercado de consumo, quer através do turista consumidor, quer para mercados especializados. O elevado nível de endividamento, por via dos erros do passado e da construção de uma fábrica sobredimensionada e vocacionada sobretudo para a produção de queijo barra, não permite que esta cooperativa pague um melhor preço aos seus produtores/cooperantes. A atual gestão está a pagar os erros do passado e os erros da própria banca que financiou esses projetos e que agora se torna intransigente.
Da agenda dos liberais à ilha montanha constou ainda uma visita e reunião de trabalho à Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico – Picowines. Esta cooperativa, que possui cerca de 250 associados, conta com uma equipa de trabalho dinâmica e motivada, que tem a seu cargo toda a gestão operacional das diferentes áreas de atuação da cooperativa e de apoio aos cooperantes, que anualmente entregam as suas uvas para produzir os mais variados vinhos. O apoio técnico especializado aos produtores de vinha, no sentido de otimizarem as suas produções e anteverem os problemas ao nível da produção primária, foi um dos aspetos falados na reunião de trabalho, tendo os dirigentes mencionado que faz todo o sentido e que seria uma aposta muito eficiente para o futuro.
No Concelho de S. Roque, o deputado liberal destaca o projeto diferenciador CRIAR tec – Centro Regional de Inovação, Aprendizagem e Recursos Tecnológicos, que tem como principal objetivo o desenvolvimento de ideias de negócio e que é a primeira Incubadora de Empresas de Base Local e Tecnológica de São Roque do Pico. É um projeto com um conceito muito liberal, dinâmico, que possui programas de incubação para as diferentes necessidades das empresas, promovendo o desenvolvimento do tecido empresarial, a criação de postos de trabalho e emprego. O objetivo no futuro é replicar este projeto nos outros dois concelhos da ilha montanha.
Da Ilha do Pico, os liberais levam, para o contexto regional, um ensinamento de como fazer bem feito e com valorização dos nossos produtos. Esse desiderato de impor valor acrescentado e distribuição de riqueza pelas fileiras de valor, aplica-se no turismo, com investimentos “pulverizados” por toda a Ilha, com muita qualidade na oferta de serviços, com muito rigor na escolha dos materiais autóctones, harmonia estética e com extrema genuinidade, tudo isso impulsionado por um tecido empresarial constituído por micro e pequenas empresas familiares, que permite uma distribuição da riqueza de forma muito abrangente. Esse é o modelo que temos que replicar um pouco para todas as restantes Ilhas dos Açores, sem termos necessidade de pagar a operadores turísticos e companhias aéreas para nos trazerem turistas consumidores.
O triangulo é o espaço geográfico mais interessante e complementar como produto turístico e como modelo de sustentabilidade. Nesse sistema económico de três ilhas cada uma tem que se afirmar pelas suas diferenças e características, sendo complementares nas suas fraquezas.
O Pico é uma Ilha muito Liberal, quer nos costumes, quer do ponto de vista da sua pouca dependência da despesa publica e do emprego publico. A Ilha do Pico é, entre todas as dos Açores, aquela que tem menor percentagem de funcionários do sector publico e isso explica parte do seu sucesso, a sua economia está numa fase bastante boa e está a afirmar-se como a terceira economia dos Açores com um crescimento fantástico se comparado com as ilhas vizinhas do triângulo e outras que teimam em não descolar dos problemas resilientes. O Pico é um laboratório do liberalismo nos Açores e um exemplo de que não é inevitável sermos socialistas e pobres, podemos ser liberais e ricos.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO