Dia Municipal Viver em Igualdade Autarquia apresenta – II Plano para a Igualdade, Cidadania e Não Discriminação

0
33
Apresentação do II Plano para a Igualdade, Cidadania e Não Discriminação

No dia em que assinalou o Dia Municipal para a Igualdade, a Câmara Municipal da Horta (CMH), apresentou o II Plano Municipal para Igualdade, Cidadania e Não Discriminação: Fase de diagnóstico.
Segundo a vereadora Ester Pereira, o novo plano vai “contribuir para um concelho mais justo e mais capacitado para a mudança social”.

A CMH assinalou na passada sexta-feira, o Dia Municipal para a Igualdade, na ilha do Faial com a apresentação do II Plano Municipal para Igualdade, Cidadania e Não Discriminação: Fase de diagnóstico e da Estratégia Nacional para a Igualdade e Não Discriminação: O papel do/a colaborador/a na promoção da Igualdade e Não Discrimi-nação, que foi divulgado por Rosa Oliveira, responsável pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG).
A autarquia faialense foi uma das primeiras dos Açores a concluir o seu Plano Municipal para Igualdade, Cidadania e Não Discriminação, que teve início em 2013, com a nomeação da Conselheira Municipal para a Igualdade, e constituição de uma equipa interna e a formalizar o primeiro protocolo com a CIG.


Este II plano ainda em “atualização”, está alinhado com a Estratégia Nacional para a Igualdade e pretende contribuir “para um concelho mais justo, mais igual, mais próximo das pessoas, diminuindo as suas desigualdades sociais, de forma a criar um concelho melhor e capacitado para a mudança social”, através do reforço com entidades e instituições parceiras e população em geral, salientou a vereadora na sessão de abertura.
De acordo com Ester Pereira, este encontro, apresentou-se como “uma reflexão conjunta do que se fez e que ainda se está a fazer nesta área de intervenção da sociedade”, resultado do trabalho “desenvolvido, não só pela Câmara Municipal, mas pelos vários parceiros sociais, entre os quais a CIG”, entidade com quem a autarquia celebrou “um protocolo novo de cooperação em julho passado”, avançou.
“Pretende-se que as entidades, instituições e população em geral contribuam para o desenvolvimento de um documento dos direitos humanos, igualdade entre géneros, não discriminação e não violência”, reforçou a vereadora.
À margem deste encontro, em declarações ao Tribuna das Ilhas, Rosa Oliveira explicou que “a Estratégia Nacional para a Igualdade, Cidadania e Não Discriminação é um documento orientador da política pública nacional para 12 anos, que tem dentro os planos de ação, desde, o plano de igualdade, da violência e de orientação sexual” que se reveste de grande importância, na medida em que se “cruza com os objetivos do desenvolvimento sustentável, ou seja, “tem como grande preocupação as questões ambientais a Carta Urbana e todos os outros documentos com base numa frase que é muito referida na estratégia que é “ninguém fica para trás”, revelou.
Em paralelo com esta atividade, e para os alunos e alunas da ESMA foi apresentado o projeto “Desafiar Estereótipos”, pela cantora Ana Bacalhau que tratou esta temática através de uma performance teatral e musical que incluiu ainda a entrega de livros com o objetivo de fazer chegar a mensagem ao público mais jovem, numa parceria com a empresa Betweien.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO