Diagnosticados 605 novos casos positivos de covid-19 nos Açores

0
58
DR
DR

Últimas 24 horas:    

Diagnosticados 605 novos casos positivos de covid-19, sendo 336 em São Miguel, 136 na Terceira, 50 no Pico, 41 no Faial, 22 em Santa Maria, 16 nas Flores, três em São Jorge e um na Graciosa, resultantes de 2.468 testes efetuados,

Em São Miguel foram registados 165 novos casos positivos no concelho de Ponta Delgada, 111 no concelho da Ribeira Grande, 27 no concelho de Vila Franca, 24 no concelho da Lagoa, sete no concelho do Nordeste e dois no concelho da Povoação.

A Terceira registou 86 novos casos positivos no concelho de Angra do Heroísmo e 50 no concelho da Praia da Vitória.

No Pico há 32 novos casos positivos no concelho das Lajes, 12 no concelho da Madalena e seis no concelho de São Roque.

O Faial registou 41 novos casos, correspondentes ao concelho da Horta.

Em Santa Maria há 22 novos casos que correspondem ao concelho de Vila do Porto.

Nas Flores foram registados nove novos casos no concelho de Santa Cruz e sete no concelho das Lajes.

Em São Jorge foram registados dois novos casos positivos no concelho da Calheta e um no concelho das Velas.

A Graciosa regista um novo caso positivo em Santa Cruz.

Internamentos:    

À data de hoje estão 33 doentes internados, sendo 25 no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada (cinco em Unidade de Cuidados Intensivos), quatro no Hospital da Horta (um em unidade de cuidados intensivos) e quatro no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira.

Recuperações:    

Nas últimas 24 horas foram registadas 249 recuperações.

Situação atual:   

O arquipélago regista presentemente 3.152 casos positivos ativos, sendo 2.109 em São Miguel, 518 na Terceira, 253 no Faial, 166 no Pico, 50 em Santa Maria, 29 nas Flores, 19 em São Jorge, cinco no Corvo e três na Graciosa.

Desde 31 de dezembro de 2020 e até 12 de janeiro corrente, foram administradas nos Açores 431.112 doses de vacina contra a covid-19, correspondentes a 203.266 pessoas com a vacinação primária completa (85,89% da população) e 55.716 pessoas com a dose de reforço (23,50%).