Empreitada da ponte-cais do Porto das Lajes das Flores foi adjudicada, anuncia Ana Cunha

0
13
DR/GACS
DR/GACS

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas anunciou que foi adjudicada a empreitada de construção da ponte-cais do Porto das Lajes das Flores, uma obra com um custo de 22 milhões de euros que vai dotar este porto de uma ponte-cais acostável de ambos os lados, com 100 metros de comprimento.

Ana Cunha, em declarações no final de uma visita às obras em curso naquele porto, adiantou que esta empreitada “vem reforçar a capacidade do Porto das Lajes para receber os navios do tráfego local que operam na Região”.

Neste âmbito, a Secretária Regional realçou que tal permitirá a retoma da normalidade da operação de mercadorias no abastecimento ao Grupo Ocidental, lembrando que a ilha do Corvo, em especial, “tem sido afetada por alguma imprevisibilidade, decorrente das condições climatéricas”.

Ana Cunha salientou que o novo cais ficará dotado de todas as infraestruturas necessárias e funcionará “também como redundância, no sentido de evitar futuros problemas, como aquele que vivemos com a passagem do furacão Lorenzo e a destruição total do Porto das Lajes”.

A Secretária dos Transportes sublinhou que a ponte-cais adjudicada hoje vai trazer grandes benefícios ao abastecimento marítimo a todo o Grupo Ocidental, ao permitir que o abastecimento ao Corvo volte a ser feito nas condições que era feito anteriormente, a partir das Flores.

Ana Cunha acrescentou que “são conhecidas as dificuldades da viagem a partir do Faial, do Porto da Horta”, onde estão neste momento sediados os navios de tráfego local que fazem abastecimento ao Corvo.

“O canal é diferente, as condições de mar são diferentes, a travessia é mais longa. Daí que neste momento seja mais afetado pelas condições de mar e de tempo do que a partir das Flores. Nessa medida, permitirá estabilizar a operação de abastecimento de mercadorias ao Corvo”, disse.

A empreitada foi adjudicada ao consórcio Etermar/Sacyr Somague/Tecnovia Açores, num investimento cujo valor ronda os 19 milhões de euros, com um prazo de execução de 22 meses.

Ana Cunha referiu que “feita a análise das propostas e decorrido o prazo de audiência prévia sem que tenham existido reclamações, a obra foi hoje adjudicada”.

A titular da pasta dos Transportes indicou ainda que esta obra será uma fase muito importante para o porto, na medida em que serve de fase intermédia, pois “reforça a operacionalidade do porto enquanto não é feita a obra principal “.

Ana Cunha lembrou que decorre também a obra de proteção do cais, um procedimento lançado no mês de dezembro, cuja execução teve início em abril, num investimento de valor superior a 22 milhões de euros, com um prazo de execução de 18 meses.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO