Escola Profissional da Horta

0
52
DR

DR

Erasmus+ Semana de Intercâmbio em Iskenderun

A Escola Profissional marcou a sua presença mais uma vez numa semana de intercâmbio de estudantes no âmbito do projeto Erasmus+ Different Stars of the Same Stage entre 12 e 18 de fevereiro. Desta vez, os formandos viajaram até a cidade de Iskenderun na Turquia. Esta semana reuniu no continente asiático cinco países: Turquia, Itália, Roménia, Hungria e Portugal.
Durante esta semana, os formandos viveram o quotidiano dos seus parceiros, percebendo o seu modo de vida pessoal e escolar, interagindo com as suas famílias de acolhimento. A nossa Escola fez-se representar pelos formandos Diogo Ribeiro, Diogo Silva, Érica Neves e Miguel Pinto e pelas formadoras Paula Saraiva e Regina Pinto.
De regresso a casa, os participantes trouxeram lembranças de uns dias que definitivamente marcaram as suas vidas, uma vez que, por um lado, puderam aprender e perceber uma cultura diferente, bem como partilhar aspetos da nossa. Subiram ao palco para representar uma lenda do rei Midas e também para bailar e ensinar o nosso folclore.
Esta semana marcou o fim do encontro de alunos neste projeto. Em maio, os professores coordenadores das escolas parceiras reunir-se-ão na nossa Escola para proceder à avaliação do mesmo que termina em agosto deste ano. Neste projeto, com a duração de dois anos formativos, a Escola Profis-sional em parceria com a Câmara Municipal da Horta teve como grande objetivo permitir aos nossos jovens um alargamento dos seus horizontes e um incremento no seu sentido de pertença europeia. Os trabalhos que foram realizados no âmbito deste projeto serão dados a conhecer ao público em geral aquando da reunião transnacional que marcará o fim da implementação do projeto.
Ao longo destes dois anos, participaram nas semanas de intercâmbio quinze formandos e três professores. Estes momentos de encontro intercultural, permitiram igualmente um conhecimento não só de outras culturas mas um aprofundamento das nossas próprias tradições e da nossa história.

DR

DR

 

Sofia Ribeiro na Escola Profissional da Horta

Sofia Ribeiro, eurodeputada ao Parlamento Europeu, esteve na nossa Escola a convite do Clube Europeu, no âmbito do projeto Escola Embaixadora do Parlamento Europeu. No Dia Internacional da Mulher, o tópico da conversa com os formandos foi a ‘Equidade de Género’, não só pela coincidência da comemoração, mas também por ser uma temática que foi debatida nas Escolas ao longo deste ano formativo no programa Parlamento dos Jovens. Baseando-se em dados estatísticos do Eurostat, Sofia Ribeiro registou que a desigualdade de oportunidades entre géneros subsiste nos nossos dias, sendo que apesar de terem mais qualificações do que os homens, as mulheres raramente chegam a cargos de topo. Em Portugal, apenas 7,1% das mulheres alcança cargos de liderança, uma média inferior à taxa da UE, 16,6%, a qual se encontra ainda muito aquém do equilíbrio de género. No que concerne à média salarial, as mulheres continuam a auferir em média menos 13% do que os homens em situações laborais idênticas. Para além disso, as mulheres estão sub-representadas na maioria dos cargos de investigação, engenharia e gestão, facto que poderá ter repercussões na sua empregabilidade no nosso mundo que apresenta grandes desenvolvimentos na área da automação, da robótica e da inteligência artificial.
Sofia Ribeiro definiu a Educação como a peça chave para a eliminação das desigualdades entre géneros, defendendo que a UE deve criar todas as condições de acesso à educação de modo a combater precocemente preconceitos e estereótipos que ao longo da vida poderão ser potenciadores de abusos da mais variada ordem. Frisou ainda que é preciso lutar por aquelas mulheres ‘de quem ninguém ouve falar, a vítima do sistema’.

DR

 

Oferta formativa para o ano formativo 2018/2019

A Escola Profissional da Horta reuniu no passado dia 23 de fevereiro o Conselho Consultivo para definir a oferta formativa para o triénio formativo 2018/2021.
Este Conselho reúne entidades externas à Escola, nomeadamente, Câmara Municipal da Horta, Câmara do Comércio, Instituto da Ação Social, Associação de Sindicatos, Escola Secundária Manuel Arriaga e a nível interno todos os orientadores de turma, coordenadores de curso, representantes de formandos e os representantes dos Encarregados de Educação. Por um lado, a Escola pretende aferir quais as necessidades reais de formação do nosso tecido empresarial e, por outro, o interesse dos próprios jovens.
O Conselho Consultivo, fundamentando a sua proposta de formação a iniciar no próximo ano formativo no Estudo das Necessidades de Formação Profissional das Empresas realizado pelo Observatório Regional do Emprego e Formação Profissional, apostando na diversidade da oferta formativa, nas infraestruturas da Escola, no elenco disciplinar, no nível de empregabilidade, na idade e género dos formandos, na atratividade dos cursos, indicou dois cursos nas áreas de formação mais carenciadas na ilha do Faial, em conformidade com o Estudo supra mencionado> Comércio e Segurança e Higiene no Trabalho. Sendo assim, a Escola profissional da Horta pretende iniciar no próximo mês de setembro o Curso Técnico/a de Comuni-cação e Serviço Digital e o curso Técnico/a e Segurança e Higie-ne no Trabalho.

 

Parlamento dos Jovens 2017/2018

No passado dia seis de março teve lugar mais uma edição do programa do Parlamento dos Jovens, este ano subordinado ao tema Igualdade de Género. Participaram no círculo dos Açores, na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, 37 escolas do ensino regular e profissional, entre as quais a Escola Profissional da Horta. A nossa escola fez-se representar por duas formandas dos cursos Técnico de Animador Sociocultural e Técnico de Informação e Animação Turística, respetivamente Mariana Fortuna e Iara Lima.
O tema em debate nesta edição é crucial na medida em que não é aceitável que em pleno século XXI, sobretudo as mulheres, ainda estejam sujeitas a atos de discriminação, intolerância e desigualdade relativamente ao sexo oposto. Assim, é necessário que desde logo se comecem a preparar e a elucidar as gerações mais jovens para esta problemática.
A primeira fase do programa do Parlamento dos Jovens decorreu na escola durante o primeiro período formativo e o início do segundo período. No decorrer desta fase um grupo de formandos organizou-se e formou uma lista candidata que se dedicou a várias pesquisas sobre o tema a debate no sentido de construir um projeto de recomendação que incluísse até três medidas. Durante a primeira fase foram realizadas eleições e uma sessão escolar que serviu para eleger os deputados efetivos que participaram na sessão regional, bem como para votar o projeto de recomendação final da escola. As três medidas votadas para serem discutidas e apresentadas pela Escola Profissional da Horta na sessão regional prendem-se com a proibição da diferença salarial existente entre homens e mulheres; o incentivo à participação da mulher na vida política; e a criação de legislação que proteja as famílias e as empresas no que concerne a subsídios de maternidade e paternidade.
Apesar de as deputadas da nossa escola não terem sido eleitas para representar o círculo dos Açores na Assembleia da República no próximo mês de abril, a experiência foi sem dúvida muito enriquecedora para as jovens participantes que desempenharam as suas funções com muita responsabilidade, idoneidade e motivação.
Projetos desta natureza contribuem grandemente para o desenvolvimento de algumas das competências mais necessárias para o sucesso dos nossos formandos, tais como: a autonomia, o espírito crítico e a responsabilidade. A participação nestes projetos permite-lhes trabalhar capacidades de argumentação e de liderança desenvolvendo-as a nível pessoal e profissional.
Estes programas extracurriculares são de extrema importância visto que promovem a educação dos jovens para a cidadania motivando-os para a participação cívica e para o debate de temas da atualidade.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO