Câmara aberta a receber soluções que financeiramente possibilitem melhorar as estradas do Faial

0
11
DR

Na sequência das acusações da Coligação Acreditar no Faial, após uma visita às ruas do Algar, Courelas e Lameiro Grande, na freguesia da Feteira, o vice-presidente da Câmara num comunicado enviado às redações lamentou “a falta de seriedade e a demagogia com que os vereadores da Coligação abordam assuntos que afetam, diariamente, a população do concelho”.
A este respeito Luís Botelho salientou que a “Câmara Municipal está disponível, como sempre esteve, para encontrar soluções que permitam solucionar estas e outras questões”.

Na reunião camarária que decorreu na passada quinta feira, nos Paços do Concelho, o vice-presidente da Câmara lamentou a “a falta de seriedade e a demagogia com que os vereadores da Coligação abordam assuntos que afetam, diariamente, a população do concelho”.
A acusação surgiu na sequência das declarações dos vereadores do PSD/Faial na CMH, relativamente, ao mau estado das vias municipais, após uma visita às ruas do Algar, Courelas e Lameiro Grande.
A este respeito Luís Botelho salientou que a autarquia “está disponível, como sempre esteve, para encontrar soluções que permitam solucionar estas e outras questões”, considerando que “só pode exigir urgência na asfaltagem de três arruamentos específicos quem se imiscui de apresentar soluções para um universo mais alargado de intervenções que esta Câmara Municipal considera urgentes e para as quais tem procurado alternativas”.
Sobre este assunto, o vice-presidente lembrou que a vereação da Coligação não apresentou “soluções viáveis”, no âmbito da preparação do Orçamento da Câmara, “que resolvessem as necessidades de investimento na rede viária municipal, optando pela solução mais fácil de pedir urgência e se mostrarem preocupados”, enquanto, pelo contrário, o executivo camarário, “incluiu no orçamento para o corrente ano uma medida, que implica a gestão de um fundo municipal de investimento direto na melhoria da rede viária municipal”, resultante das verbas provenientes de receitas da DERRAMA e do IMI, como uma solução para resolver o problema.
Botelho tem consciência que com esta solução “não estão solucionados todos os problemas”, adiantando que, nesse contexto, o Presidente da Câmara apresentou uma proposta junto da Associação Nacional de Municípios Portugueses, para “inclusão do investimento em estradas na futura alteração aos fundos de financiamento” com vista a resolver o problema “criado pelo Governo da República da Coligação PSD/ CDS-PP que retirou esse acesso às Câmaras no contexto do atual programa comunitário”, lembrou.
O vice-presidente da Câmara não aceita que “se continue a insinuar que quando houve financiamento para estradas a Câmara Municipal não o soube aproveitar”, quando, foi criticada, pela Coligação de criar vários “blocos” de empreitadas de reabilitação de estradas”, que permitiram melhorar “mais de 50 arruamentos, na ilha do Faial, nos últimos quatro anos”.
A finalizar, Botelho esclareceu ainda que o município, através do Serviço Municipal de Proteção Civil e Operações de Emergência, realizou em novembro último, uma visita àquela freguesia, acompanhado elenco da junta, da qual resultaram várias intervenções em situações de risco, não tendo sido na ocasião “reportada ou identificada”, pela Junta, qualquer situação nas vias em causa.
Para o vice-presidente, é importante que “haja lealdade política entre órgãos autárquicos”. “É isso que as pessoas esperam das instituições e de quem as governa”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO