Estevão Gomes quer que a junta seja a alavanca para o desenvolvimento da freguesia

0
41

A freguesia da Praia do Norte comemorou, pela terceira vez, no passado fim-de-semana o seu dia da freguesia, uma data que habitualmente é comemorada a 1 de outubro mas que este ano sofreu alteração devido à proximidade com as eleições autárquicas.

“É nesta altura porque, em primeiro lugar é justo “lembrar todas as pessoas que nasceram, viveram e vivem na freguesia da Praia do Norte. Esta freguesia desde a sua fundação foi marcada pelas catástrofes e destruição, mas também pela reconhecida capacidade de se reerguer das cinzas e começar de novo. Por outro lado, entendemos que não devemos aproveitar este tipo de celebrações nem para fazer campanha nem para qualquer outro tipo de festejo porque a ética política pratica-se não se apregoa” – afirmou ao Tribuna das Ilhas o presidente da Junta de Freguesia, Estevão Gomes.

Neste que é um dia de balanço da actividade da junta, de apresentação de projetos e objetivos, a junta de freguesia da Praia do Norte lançou ainda o livro “Praia do Norte um exemplo da história, tradição e cultura da ruralidade açoriana”.

Esta obra foi escrita por Fernando Faria, Carlos Faria, João Melo e pelos elementos da Junta de Freguesia sob a coordenação geral de Jorge Costa Pereira.

A Junta tomou a seu cargo a recolha dos costumes e saberes da freguesia, concretizada junto da população, nomeadamente das pessoas mais velhas porque “para sabermos para onde queremos ir temos primeiro que saber de onde viemos” – frisou Estevão Gomes.

O balanço que Estevão Gomes faz dos últimos quatro anos são positivos, “somos a junta que mais projetos de fundos comunitários tem aprovados. Pode parecer pouco mas a verdade é que temos mais de cem mil euros de dinheiro da Europa investido na Praia do Norte.”

Com a verba europeia o executivo da Praia do Norte editou o livro, adquiriu um palco, levou a cabo várias obras de requalificação, de entre as quais se inclui o Parque Infantil da Fajã. A realização do seminário e jornadas de agricultura biológica também foi promovida com verbas comunitárias.

Aprovada está a realização de um seminário sobre sustentabilidade que decorrerá na Primavera.

Esta aposta no saber surge como uma forma de proporcionar as mesmas hipóteses aos residentes na Praia do Norte que tem a população que reside mais próximo dos centros urbanos e isto porque, como disse Estevão Gomes “só evoluímos com conhecimento”.

Estêvão Gomes reconhece que a Praia do Norte tem um problema grave, “ é uma freguesia rural, predominantemente agrícola. Quem trabalha as terras é a geração do Vulcão, ou seja, aqueles com mais de 50 anos e as terras estão a ficar cada vez mais desaproveitadas e vê-se no país o retorno à terra, uma tendência que também tende a crescer nos Açores pelo que é importante apostarmos na formação nesta área por forma a dar as ferramentas a quem quiser investir nesta área”.

Um dos projetos mais desafiantes que Estevão Gomes tem entre mãos, e conforme explicou aos presentes na sessão solene do Dia da Freguesia, prende-se com o “manter a escola básica no Capelo que alberga as crianças da freguesia.”

No entender do autarca, “já somos poucos, com uma taxa de natalidade muito baixa, pelo que se a escola fecha a tendência para a população fugirem da freguesia vai ser cada vez maior. Acredito que podemos também criar condições para que as pessoas se fixem na freguesia. Temos que ser a avalancha para que as pessoas se fixem e invistam na freguesia”.

Em suma, Estevão Gomes pretende “renovar a freguesia mas sem que esta perca a sua identidade. A Praia do Norte é conhecida como uma freguesia de pessoas de trabalho e por gente que se dedica às suas causas”.