“EUA não podem fugir das suas responsabilidades”, alerta Lara Martinho

0
16
DR/PS
DR/PS

Lara Martinho, deputada do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República, reconheceu a ação do Ministério da Defesa Nacional no processo de descontaminação da ilha Terceira, que, tal como aponta o último relatório do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, de dezembro passado, “avançou novamente onde os Estados Unidos da América não avançaram”.

“Refiro-me à operação de extração de 10.000 litros de água do furo 3001, que, tendo em conta a identificação de contaminação neste local, localizado junto aos antigos depósitos que existiam na Base das Lajes, o Ministério encomendou, e bem, esta operação que foi realizada em outubro do ano passado”, reconheceu a parlamentar socialista durante a audição regimental ao Ministro da Defesa Nacional.

De acordo com a vice-presidente do GPPS, “os EUA não podem fugir das suas responsabilidades”, numa alusão ao relatório do LNEC que dá conta de no ano passado não ter havido qualquer intervenção por parte dos americanos em termos de descontaminação.

Nesse sentido, Lara Martinho reafirmou 3 pontos que considera cruciais: “os EUA não podem adiar, mais um ano, as intervenções na ilha Terceira”; têm de ser efetivamente realizadas “reuniões mensais de peritos entre os dois países, para que resolvam as questões pendentes”; e é fundamental “a retoma urgente da monitorização e reabilitação dos sites”.

No âmbito do processo de descontaminação, a deputada socialista relembrou ainda ter sido o Ministério da Defesa “a tomar a dianteira” na remoção das terras contaminadas do pipeline do Cabrito, solicitando por isso um ponto de situação sobre esta matéria.

Lara Martinho questionou ainda o Ministro quanto ao projeto a instalar nos Açores do Space Surveillance and Tracking, pedindo um ponto de situação “quer quanto ao Centro de operações na ilha Terceira, quer quanto ao telescópio na ilha de Santa Maria”, o qual o Ministro confirmou já ter entrado em funcionamento.

De acordo com João Gomes Cravinho, o Ministério está a trabalhar em colaboração com o Governo dos Açores no sentido de que a breve prazo “possamos ter operacional o centro de operações”, estando ainda em curso o “recrutamento de pessoal especializado e altamente qualificado” para aí trabalhar.

Já o Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Jorge Sanches, e relativamente à descontaminação da ilha Terceira, reafirmou o trabalho de proximidade que tem sido mantido com o município da Praia da Vitória no sentido de se encontrarem as melhores soluções, referindo que na última reunião, que ocorreu há cerca de três semanas, se estabeleceram “um conjunto de ações para o futuro”, nas quais tem estado a trabalhar com a Direção Geral de Recursos. Quanto ao pipeline no Cabrito, o Secretário de Estado afirmou estarem agora “em condições de acelerar o processo junto do Tribunal de Contas para que possa ter o visto e se possa iniciar a obra”, depois de resolvida em Tribunal a questão da providência cautelar.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO