Europeias 2019: Andreia Vasconcelos defende verdadeiras condições de mobilidade e transporte para Açorianos

0
4

A candidata do CDS ao Parlamento Europeu, Andreia Vasconcelos, esteve, esta terça-feira, reunida com a Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, em São Miguel, onde auscultou o tecido empresarial regional e conheceu os problemas da Região ao nível das acessibilidades e dos transportes.

“Todos sabemos que os nossos transportes continuam ainda a não corresponder às necessidades das nossas populações e o CDS é o partido que mais o denuncia e aponta soluções”, afirmou.

Andreia Vasconcelos salientou que é preciso colocar na agenda europeia a questão dos transportes nos Açores, desde logo para que “se consiga fazer com que as mercadorias possam chegar atempadamente ao seu destino” e para que “a mobilidade dos Açorianos e de quem nos visita seja devidamente assegurada”.

Neste sentido, a candidata do CDS, defendeu que “no âmbito das regiões ultraperiféricas deve haver uma maior disponibilidade da União Europeia para fazer face aos nossos específicos constrangimentos ao nível das infraestruturas e operacionalidade aérea e marítima, quer de passageiros, quer de mercadorias”.

“Temos uma posição geostratégica extraordinária, por isso devemos aproveitar as nossas autoestradas marítimas, para que possamos ligar a Europa aos EUA. É importante que a UE reconheça a nossa posição geoestratégica”, frisou, afirmando que “seria importante que houvesse nos Açores uma plataforma de distribuição de mercadorias”.

Em relação aos transportes aéreos, Andreia Vasconcelos referiu que os Açorianos têm limitações à sua mobilidade, impostas pela realidade insular do arquipélago, pelo que importa “pensar num novo plano estratégico para a SATA, para que a companhia aérea sirva os Açorianos e quem nos visita”.

“É urgente a definição estratégica das áreas ou setores preferenciais para a nossa economia, de forma a podermos ter uma mais coerente e melhor promovida política de atração de investimentos. O mercado europeu corresponde ao acesso imediato a mais de 500 milhões de clientes e é condição essencial para o emprego, para o crescimento, para o investimento e para a inovação na nossa Região”, referiu.

“Só com boas acessibilidades e transportes eficientes é que os nossos empresários poderão ter a capacidade de estar presentes, vender e distribuir no mercado europeu, para que as nossas empresas e o emprego possam crescer”, frisou.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO