Furacão Lorenzo – Relatório do Grupo de Trabalho é um documento parcial e sem contraditório

0
14
DR/PSD
DR/PSD

Os deputados do PSD/Açores integrados no grupo de trabalho sobre o Furacão Lorenzo votaram hoje contra o relatório elaborado pelo PS, frisando tratar-se de um documento “parcial e sem contraditório”, e apenas “mais um exercício do PS, em tempo eleitoral”.

Segundo o deputado Bruno Belo, “infeliz e estranhamente, depois de vários meses em que o grupo realizou um trabalho meritório, o PS optou por elaborar e apresentar um relatório das atividades do governo regional ao longo de todo o processo, em vez de relatar os trabalhos desenvolvidos pelo grupo de trabalho”, adianta.

“Isso contraria inclusivamente o espírito e os objetivos que presidiram à criação do próprio grupo de trabalho, que devia contribuir para que as pessoas e as empresas afetadas, de forma direta ou indireta, pela tempestade, vissem os seus problemas resolvidos e as situações reparadas, com a devida fiscalização”, refere o social democrata.

“Foi a ação – ou a falta dela – do governo a determinar a elaboração de um relatório desta natureza, que se cinge a fazer uma descrição – em muitos domínios seletiva – da atividade do governo, omitindo a atuação dos próprios deputados que participaram ativamente nos trabalhos e os relatos das pessoas e das instituições ouvidas”, explica Bruno Belo.

“É um relatório sem contraditório que demonstra de forma eloquente a imagem que este PS tem da democracia nos Açores”, lamenta.

O social democrata lembra que “houve, durante o processo, problemas e constrangimentos graves, que foram do nosso conhecimento, mas que não estão no relatório, como os problemas no abastecimento às ilhas das Flores e do Corvo que deviam ter sido salientados no sentido de precaver situações futuras”, exemplifica.

Bruno Belo também lembra que, “em fevereiro, o grupo parlamentar do PSD/Açores solicitou o envio dos relatórios dos levantamentos feitos pelo Governo nas diversas ilhas, cujo valor atinge 330 milhões de euros, um número que Vasco Cordeiro avançou 12 dias após a intempérie”, sublinha.

“Ora, se tudo isso estava apurado passados 12 dias, porque não foi fornecido ao grupo de trabalho?”, questiona o deputado.

“Faltou conhecermos os relatórios dos levantamentos dos estragos de cada infraestrutura, para conhecermos os fundamentos dos valores estimados para a sua recuperação, porque o governo escondeu essa informação do grupo do trabalho e da Assembleia Legislativa”, acrescentou Bruno Belo.

“As nossas discordâncias face ao relatório não se fundamentam- se na sua forma e nas suas graves omissões, porque o PS elaborou um documento que não respeita a ação desenvolvida pelo grupo de trabalho, não dignifica sequer o primeiro órgão da nossa Autonomia e não serve a Democracia”, afirma.

“O PSD/Açores colocou sempre o interesse das pessoas, das empresas e das ilhas afetadas em primeiro lugar”, garante Bruno Belo.

“Como tal, não podemos aprovar um relatório que tem apenas o propósito de constituir mais um exercício partidário em tempo eleitoral”, concluiu.

Recorde-se que o Furação Lorenzo atingiu os Açores nos dias 1 e 2 de outubro de 2019, deixando em várias ilhas um rasto de destruição com fortes impactos a nível social e económico.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO