Governo dos Açores adjudica obra de proteção junto à fábrica Santa Catarina, na Calheta, em São Jorge

0
19
DR
DR

O Governo dos Açores adjudicou a empreitada de proteção e infraestruturação do caminho municipal adjacente ao campo de jogos e à conserveira Santa Catarina, na Calheta, em São Jorge, à empresa Tecnovia Açores, pelo valor de um milhão e 344 mil euros.

Após a análise pelo júri do concurso das propostas apresentadas, a empreitada de melhoramento foi adjudicada àquela empresa, com um prazo de execução de 365 dias, sendo que a execução do contrato para o início da obra aguarda agora o visto prévio da Secção Regional dos Açores do Tribunal de Contas.

A intervenção tem como objetivo a proteção da arriba junto ao campo de jogos e à fábrica Santa Catarina, que tem vindo a ser assolada pela agitação marítima, provocando não só a sua instabilidade, mas também um recuo acentuado, colocando em causa o acesso àquela infraestrutura fabril e às restantes infraestruturas existentes no local.

Para além de garantir a salvaguarda de pessoas e bens, esta obra pretende também valorizar aquela zona costeira, sendo que, para esse efeito, adotou-se uma solução de enrocamento de pedra, a construção de muros de suporte e guarda, e ainda a criação de passeios pedonais.

O enrocamento será dividido em dois troços, sendo um com enrocamento de gama de um a três toneladas e outro com gama de seis a nove toneladas, numa extensão total de intervenção de 200 metros.

Serão ainda realizados trabalhos de drenagem de águas pluviais do troço da via intervencionada.

Esta intervenção, que contará com o apoio do programa operacional Açores 2020, representa um compromisso do Governo dos Açores para proteger e valorizar aquela zona costeira da vila da Calheta, frequentemente assolada por fenómenos de agitação marítima, resultantes de condições meteorológicas adversas e que põem em causa as condições de segurança da falésia e da via adjacente.

A orla costeira junto à fábrica Santa Catarina e ao campo de jogos da vila da Calheta tem sofrido ao longo dos anos um forte recuo devido a intempéries, sobretudo em 2019, quando o arquipélago dos Açores foi fustigado pela tempestade Kyllian e pelo furação Lorenzo.

Neste sentido, o projeto que tinha sido elaborado e apresentado publicamente em janeiro de 2019 teve de ser alterado para se ajustar às alterações da linha de costa provocadas pelas intempéries.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO