Governo dos Açores empenhado em combater desigualdades através de trabalho em rede, afirma Andreia Cardoso

0
15

A Secretária Regional da Solidariedade Social destacou hoje, em S. Miguel, a importância de um trabalho em rede no combate às desigualdades, adiantando que o Governo dos Açores está “a desenvolver um processo de formação”, de modo a “capacitar os agentes locais para a difusão e implementação de Planos Municipais para a Igualdade”.

“O Governo dos Açores está empenhado em favorecer o trabalho em rede e prosseguir, com um conjunto alargado de parceiros, o desenvolvimento de estratégias que permitam continuar a melhorar e a garantir a plena adaptação das medidas e estruturas de prevenção e combate às situações de desigualdade na Região”, sublinhou Andreia Cardoso, que falava, na Lagoa, na sessão de abertura do III Encontro Regional de Boas Práticas sobre a Importância da Igualdade de Género.

Na sua intervenção, defendeu que, embora a taxa de atividade feminina nos Açores se destaque, “ainda há um longo caminho a percorrer”.

A governante destacou o empenho governamental na implementação de Planos Regionais de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género, que desde 2010 têm assegurado proteção e apoio às vítimas, a reabilitação aos agressores e a produção de conhecimento sobre o fenómeno da violência, de forma a melhor responder aos desafios que se colocam.

A Secretária Regional salientou ainda a importância do desenvolvimento de parcerias estratégicas na área da igualdade de género.

“Pretende-se reforçar, em particular, o envolvimento das organizações da sociedade civil, tendo em conta a especial proximidade e conhecimento empírico que as organizações não-governamentais têm dos contextos territoriais de aplicação das medidas de política e respetivos públicos-alvo”, disse.

A titular da pasta da Solidariedade Social disse ainda que a igualdade constitui uma preocupação central do Governo Regional, expressa no desenho das políticas sociais públicas, que implementaram um conjunto de medidas de proteção da parentalidade, da não discriminação e da conciliação entre a vida pessoal e familiar e a atividade profissional.

“O Governo dos Açores tem vindo a reforçar e a qualificar a rede regional de respostas sociais, quer na área da infância e da juventude, quer ao nível das várias respostas disponíveis para o cuidado dos idosos, como os Centros Intergeracionais e o Serviço de Apoio ao Domicílio”, afirmou.

Andreia Cardoso recordou também a proposta de Decreto Legislativo Regional que estabelece o Regime Jurídico de Apoio ao Cuidador Informal, que “terá como prioridade promover o seu bem-estar e contribuir para a compatibilização das responsabilidades familiares com as suas vidas profissionais”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO