Governo dos Açores investe mais 4,5 ME em infraestruturas agrícolas na ilha de São Miguel nesta legislatura

0
8
DR/GACS
DR/GACS

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou que o Governo dos Açores vai investir na ilha de São Miguel mais 4,5 milhões de euros em caminhos agrícolas, abastecimento de água e eletrificações de explorações, comparando a atual com a anterior legislatura, um aumento que dá bem nota da aposta que tem vindo a ser feita nesta área, com consequências positivas diretas para os agricultores.

“Nesta legislatura, o Governo dos Açores quase duplicou o volume do investimento em infraestruturas agrícolas na ilha São Miguel, passando de 8,5 para quase 13 milhões de euros, o que permitiu intensificar as intervenções realizadas na beneficiação de caminhos agrícolas, no reforço do abastecimento de água e na eletrificações das explorações”, referiu João Ponte, salientando que este tipo de investimento é essencial para a redução de custos de produção, para melhorar as condições de trabalho dos agricultores e tornar as explorações melhor preparadas para enfrentar futuros desafios.

O governante falava após a visita ao caminho rural do Loural, na freguesia de Água Retorta, concelho da Povoação, alvo de obras de beneficiação no valor de quase 136 mil euros, que vão incluir um piso em betão e um sistema de drenagem ao longo de 780 metros, beneficiando 13 explorações agrícolas, numa área com mais de 17 hectares.

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, destacou ainda outras obras de beneficiação em caminhos realizadas por administração direta, abrangendo os concelhos do Nordeste e da Povoação, que totalizam 6.892 metros e beneficiam 145 explorações agrícolas, numa área com 872 hectares, num investimento superior a 445 mil euros.

Para João Ponte, este tipo de investimento público, além de manifestar confiança e capacitar o setor para o futuro, contribui para criar igualdade de oportunidades entre todos os agricultores, independentemente de estarem localizados numa grande bacia leiteira ou num concelho de maior ou menor peso em termos agrícolas.

“Todos os agricultores merecem boas condições para exercerem a sua atividade e o Governo dos Açores está profundamente empenhado neste objetivo”, sustentou João Ponte, acrescentando que para o Executivo regional “não pode haver agricultores de primeira e outros de segunda”.

Apesar do muito que já foi feito neste domínio, João Ponte afirmou que é preciso olhar em frente e prosseguir, com renovada ambição, a aposta nas infraestruturas agrícolas, seja ao nível da beneficiação ou da construção de novos caminhos agrícolas, mas também do reforço do abastecimento de água e do acesso à eletrificação por parte das explorações, pelo que isso representa em termos de ganhos para os agricultores e de melhoria do seu rendimento.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO