Governo dos Açores oferece edição em braille da publicação ‘Proteção Civil em Casa’ à ACAPO

0
10

A Secretária Regional da Saúde ofereceu hoje, em Ponta Delgada, 80 exemplares da edição em braille da publicação ‘Proteção Civil em Casa’ à Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO), uma iniciativa que visa sensibilizar toda a população, de forma inclusiva e sem barreiras de acesso, para uma cultura de segurança e resiliência.

Teresa Machado Luciano salientou que o Governo dos Açores tem vindo a apostar nas áreas da “formação, informação e sensibilização da população”, procurando incutir “a consciência de que todos nós somos agentes de proteção civil”, pelo que todos devemos conhecer as medidas de prevenção e as normas de autoproteção aconselhadas para cada situação de risco e cumpri-las de forma solidária.

A edição em braille deste manual, que será distribuída pela ACAPO, insere-se no projeto do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores denominado ‘Futuro em Segurança – Abordagem Preventiva para a Mitigação de Riscos’, que visa sensibilizar a população açoriana, desde a idade pré-escolar até à idade sénior, para uma cultura de segurança e resiliência.

A inclusão tem sido uma prioridade em matéria de Proteção Civil, tendo sido criado, em 2017, um serviço de emergência para o cidadão surdo, com comunicação por SMS, e, no ano seguinte, um serviço de vídeo-interpretação em língua gestual portuguesa, que permite colocar pessoas surdas e ouvintes em comunicação.

O livro ‘Proteção Civil em Casa’, cuja primeira edição remonta ao início dos anos 2000, foi reeditado no âmbito do 40.º aniversário do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, tendo já sido distribuído por mais de 98 mil residências na Região.

Nesta reedição, são introduzidas novas temáticas, como a aplicação PROCIV Azores ou o Sistema de Emergência para Deficientes Auditivos e da Fala, bem como uma secção dedicada ao Suporte Básico de Vida para adultos, que explica como atuar perante um indivíduo que se encontre em paragem cardiorrespiratória.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO