Governo dos Açores tem em curso medidas eficazes para combater epidemia, mas é crucial que todos cumpram as orientações de saúde

0
9

“Ficou claro que as medidas que estão a ser implementadas na Região podem ser eficazes para reduzir os efeitos da pandemia Covid-19 nos Açores, mas se as pessoas não cumprirem todas as regras e orientações em termos de saúde pública, não vai ser possível controlar os contágios”, afirmou Domingos Cunha, esta segunda-feira, depois das audições realizadas na Comissão de Assuntos Sociais, sobre a epidemia mundial.

O deputado do PS/Açores na Assembleia Legislativa considera que a audição da Secretária Regional da Saúde e do Diretor Regional da Saúde, “permitiram perceber o tudo o que já foi feito e acompanhar as medidas que estão previstas para responder à evolução do coronavírus que, como é do conhecimento público, ainda está a ser estudado por especialistas de todo o mundo”.

Domingos Cunha manifestou alguma preocupação quanto ao não cumprimento das regras – “25% da população portuguesa não cumpre com as orientações nem está a fazer o que devia, conforme revelou o mais recente estudo da Escola Nacional de Saúde Pública” -, e insistiu na importância de sensibilizar os Açorianos: “Devemos ser muito assertivos, muito interventivos junto da nossa população no sentido de cumprirem, com rigor, todas a normas que lhe são dadas no sentido da sua autoproteção, da proteção dos seus familiares e das comunidades em que estão inseridas”

O deputado socialista defendeu também a necessidade de “cortar as cadeias de transmissão ativa, de modo a que não possam atingir os escalões de maior risco”, em concreto dos idosos que, no caso concreto dos Açores, não são, para já, os mais atingidos pelos casos positivos.

Domingos Cunha realçou “todo o trabalho que tem sido desenvolvido pelo Governo, através da secretaria regional da saúde” e agradeceu, em nome do Partido Socialista, “todo o trabalho, empenho, dedicação e competência que tem sido posta na gestão desta grande emergência social que é a maior pandemia dos últimos séculos”. Durante a intervenção na Comissão de Assuntos Sociais, reiterou ainda o agradecimento devido “a todos os profissionais de saúde, independentemente das suas categorias e áreas de intervenção, pelo trabalho, empenho, dedicação e esforço que tem tido para ao longo destes dias”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO