Grupo SATA – António Luís Gusmão Teixeira indicado para Presidente do Conselho de Administração

0
64
TI

TI

Governo dos Açores escolheu novo nome para a presidência do Conselho de Administração da SATA, António Luís Gusmão Teixeira substitui, assim, Paulo Menezes, que ocupa o cargo desde o final do ano de 2015.
O Conselho do Governo aprovou uma resolução que reforçará 27 milhões de euros o capital da SATA.
PSD/Faial considera que o Governo deve mudar as políticas de transporte aéreo de forma a prestar um serviço que corresponda às necessidades do Faial.
PS/Açores afirma que as contas da SATA relativas ao ano passado merecem toda a atenção do partido, pois são prejuízos elevados com os quais não podem, naturalmente, estar felizes e que os preocupa.

No passado dia 14, a Presidência do Conselho de Administração do Grupo SATA suportou alterações e será também efetuada uma recomposição total do respetivo Conselho de Administração.
António Luís Gusmão Teixeira, licenciado em Organização e Gestão de Empresas pela Universidade dos Açores e detentor do Curso Especializado em Gestão por Projeto, ministrado pelo CEGE – Centro de Estudos de Gestão do Instituto Superior de Economia e Gestão, é o novo presidente do Conselho de Administração do Grupo SATA.
Iniciou a sua carreira profissional como monitor do Departamento de Economia e Gestão da Universidade dos Açores. Tem uma larga experiência na área de gestão privada, assim como, na formação de recursos humanos, esteve envolvido em diversos estudos económicos, entre os quais o “Impacto dos Transportes na Economia Regional – Os Transportes Aéreos, Marítimos e Terrestres na Região Autónoma dos Açores”, coordenada pela Norma-Açores.
O novo presidente foi ainda membro da equipa liderada pela EDA e SOMAGUE no processo de privatização da ELECTRA, S.A., empresa de produção, transporte, distribuição e comercialização de energia e água em Cabo Verde.
Também foi formador em diversas escolas profissionais da Região e desempenhou também funções de membro da Comissão Executiva e vogal do INOVA – Instituto de Inovação Tecnológica dos Açores.
António Teixeira já desempenhou inúmeros cargos, todavia, destacam-se o de Diretor Empresarial da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada e de administrador da EDA, na qual assumiu diversos cargos de administração e de gerência em empresas participadas, nomeadamente na GLOBALEDA, na SOGEO, na GEOTERCEIRA, na SEGMA e na EEG. Contudo, desde julho de 2010 que desempenhava funções de gerente na empresa CODEBIN, Lda.

 

PSD/Faial exige mudanças de política na SATA e acusa a companhia de prejudicar a ilha

Em conferência de imprensa realizada na passada segunda-feira, dia 16 de Julho, o PSD/Faial exige que “além de mudar as pessoas, o Governo deve mudar as políticas de transporte aéreo, de forma a prestar um serviço que corresponda às necessidades do Faial, da sua população e da economia local”, referindo-se a respeito da nomeação de um novo gestor do Grupo SATA e da reconfiguração do seu conselho de administração.
Para o Vice-presidente da Comissão Política do PSD/Faial, Eduardo Pereira, “desde muito cedo consideramos que a atual Administração da SATA, era em conjunto com a orientação política do Governo Regional, um sério obstáculo à melhoria das acessibilidades aéreas da ilha do Faial”.
Eduardo Pereira lembrou que em março de 2017 “os deputados regionais do PSD defenderam a saída do Presidente da SATA e votaram contra a sua recondução para um segundo mandato, denunciando manipulação dos números relativos à rota Lisboa-Horta para procurar justificar a redução de voos de e para o Faial”, acrescentando ainda que “ também os representantes do PSD no Conselho de Ilha do Faial e a oposição na Câmara da Horta tomaram posições de contestação às opções da Administração da SATA e do Governo Regional, exigindo um melhor serviço da companhia aérea regional ao Faial e aos faialenses”.
O social-democrata recordou, igualmente, que o Grupo Municipal do PSD, na Assembleia Municipal da Horta, “já por três vezes levou a debate o assunto das acessibilidades aéreas e dos graves constrangimentos a que a má gestão da SATA votou o Faial, procurando sempre o consenso de todos”, referindo ainda que “no caso do pedido de demissão do presidente da SATA, apenas o PS recusou associar-se, colocando outros interesses à frente dos interesses do Faial”.
“Mesmo sem unanimidade, a moção foi aprovada e os deputados municipais do PSD reafirmaram a defesa do interesse de todos os faialenses”, adiantou Eduardo Pereira.
O dirigente social-democrata acrescentou que os faialenses demonstraram igualmente “o seu descontentamento pelo mau serviço prestado pela companhia aérea, como o provam as duas manifestações populares em frente à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores”, salientando ainda que “tratando-se de um tema que une toda a sociedade civil da nossa ilha também a Câmara do Comércio e Indústria da Horta se manifestou, exigindo respeito pela ilha do Faial”.
Para concluir, o PSD/Faial reconhece que os trabalhadores da SATA, “apesar das dificuldades geradas por uma má gestão e políticas erradas, procuram minimizar os danos causados a passageiros e empresários, dando todos os dias o melhor de si. Esse, é certamente, um valioso capital para o futuro da companhia aérea regional”.

 

PS/Açores prestará atenção às contas da SATA do ano de 2017

Em nota remetida às redacções, o Partido Socialista Açoriano também se manifestou sobre a situação do Grupo SATA dizendo que têm consciência que o ano que passou, foi muito atípico, por diversas razões, como as consequências de greves, a saída da frota dos 310 e a subida do preço dos combustíveis, bem como os incidentes que ocorreram com diversas aeronaves e que, em determinado momento, houve imobilização de quatro aeronaves.
“É por percebermos a gravidade dos prejuízos que vemos com satisfação que o Governo dos Açores e a própria SATA tomaram um conjunto de medidas, no âmbito da sua competência, para resolver esta situação” diz o Partido Socialista no seu comunicado.
Os socialistas sublinham ainda que a empresa também já tomou um conjunto de medidas no sentido de promover uma reestruturação interna, onde se destaca a entrada ao serviço da nova frota A321.
Os deputados do PS/Açores garantem, por último, que “na medida das suas possibilidades vão acompanhar e contribuir para que a SATA ultrapasse estas dificuldades”, recusando desvalorizar a situação e entrando em ataques pessoalizados e partidários ao Presidente do Partido, sem qualquer fundamento, e que em nada servem os Açores e os Açorianos, muito menos a SATA.

 

SATA com prejuízos de 41 milhões de euros em 2017

De acordo com o relatório de contas do Grupo SATA, a empresa fechou o ano de 2017 com um prejuízo no valor de 41 milhões de euros, o que representa o maior prejuízo de sempre para a mesma.
Segundo o referido relatório, apesar de as vendas terem aumentado 14.2 milhões de euros, os prejuízos da companhia aérea também aumentaram devido aos custos com pessoal, mais especificamente de 60,3 para 62,1 milhões, e com fretamentos de aeronaves a outras companhias aéreas, que passaram de 5 para 9,8 milhões de euros.
Os capitais próprios da empresa situam-se atualmente no valor de 133 milhões de euros negativos, enquanto o passivo da transportadora aumentou de 254 para 286 milhões de euros, as dívidas a fornecedores passaram de 45 para 55 milhões de euros e as dívidas à banca aumentaram 167.1 milhões de euros.
O ex-presidente do Grupo SATA, Paulo Menezes, refere, na sua mensagem anexada ao relatório, que os resultados de 2017 foram “prejudicados” por “diversos constrangimentos operacionais”, mas, mesmo assim, afirma estar certo de que “o futuro será auspicioso”.

 

Governo Regional reforça capital social da SATA Air Açores

O Conselho do Governo aprovou no passado dia 02 de julho, uma resolução que permitirá reforçar em 27 milhões de euros o capital da SATA Air Açores S.A., por via da subscrição de 5.400.000 novas ações.
Segundo a resolução, esta decisão visa fortalecer a situação líquida da empresa e proporcionar-lhe uma maior robustez económica e financeira, possibilitando o regular cumprimento de transporte aéreo entre as ilhas.
O aumento do capital social da SATA Air Açores inclui-se na ampla reestruturação do setor público empresarial da Região que tem vindo a ser delineada pelo Governo dos Açores. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO