Há música na #galeriacosta para o #azoresfringefestival

0
5
As apresentações são para o público online, mas a MiratecArts Galeria Costa tem recebido artistas, a solo, duos e trios, para partilharem com o mundo o seu trabalho. Desde composições originais a música favorita dos colaboradores, a partir das quintas e jardins, mata e cantinho das suculentas, os artistas que residem na ilha montanha têm tido um palco nesta propriedade sede da associação MiratecArts.
 
E, esta segunda-feira, 15 de junho, pelas 18h na página da MiratecArts e também via #azoresfringefestival pode acompanhar o duo Sara Miguel e Marcos Fernandez, com palco entre laranjeiras do Pico. 
Devagar, com cautela, saímos do casulo de isolamento, introspeção, contemplação tecido pela pandemia de um mundo sobrepovoado de medo” diz a cantora Sara Miguel. “Durante semanas a fio, só cantámos silêncio e as cordas ecoavam em paredes vazias, tornando a música uma casa um pouco estéril e desprovida do calor da partilha humana. Com o tempo, os ouvidos e o coração acostumaram-se a este exercício de escassez de sentido e tememos que tudo nunca volte a ser como outrora, que esta paleta de cores desmaiadas seja a única promessa para o resto da vida… Mas um dia chega em que o sol já bate mais morno e a porta se abre para sairmos, para aprendermos, experimentarmos um caminho em que o medo não incomoda. A voz e a guitarra juntam-se de novo para fazer em som as tantas coisas que pensámos, sonhámos e sentimos nos meses de solidão…”
 
Além do duo de Sara Miguel e Marcos Fernandez, o cantautor Bruno Rosa e o saxofonista Daniel Pena ainda vão passar na programação na Galeria Costa. O trio dos jovens Daniel Ferro, Miguel Melo e Simão Pereira já foram apresentados e os seus vídeos podem ser encontrados na página do Azores Fringe Festival, assim como outros músicos que já se apresentaram no festival. 
 
MiratecArts decidiu avançar com a oitava edição do Azores Fringe Festival num formato online para conseguir apoiar artistas e dar oportunidade numa altura que está sendo cada vez mais difícil para esta comunidade, que já vive com rendimentos básicos, e viu o seu trabalho ser cancelado em todas as vertentes dado às restrições da pandemia. Sendo assim, através do Azores Fringe, mais de 20 projetos locais conseguiram avançar com financiamento e mais de uma centena de artistas açorianos conseguem-se destacar e promover através das plataformas onlines com o bónus de promoção do festival. Para mais detalhes visite www.azoresfringe.com e vamos ao Fringe! 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO