“Hoje nos Açores o PS é o garante de segurança, estabilidade e confiança”, afirma o Presidente Vasco Cordeiro

0
24
DR

No discurso de abertura das Jornadas Parlamentares sobre o Plano e Orçamento dos Açores para 2020, Vasco Cordeiro defendeu a importância de o PS garantir segurança e estabilidade na Governação da Região: “Esta ideia de tranquilidade e confiança é fundamental nos dias que correm. Se olharmos à nossa direita percebemos porquê, se olharmos à nossa esquerda percebemos porquê. Percebemos a razão pela qual podemos, legitimamente, afirmar que, hoje, nos Açores o Partido Socialista se afirma e assume plenamente como um referencial de segurança, de estabilidade e de confiança”.

No arranque de três dias de debate e análise das propostas de Plano e Orçamento, o Presidente do PS/Açores sublinhou: “Quando discutimos o Plano e Orçamento para 2020 não estamos apenas a discutir se vamos ter estas receitas e fazer estas despesas. Quando nós discutimos e analisamos o Plano e Orçamento, estamos a falar da vida das pessoas, da vida dos Açorianos”.

“Estamos a analisar e debater de que forma estes documentos melhor servem a vida das Açorianas e dos Açorianos, na saúde, na educação, nos transportes e num conjunto variadíssimo de áreas que relevam para a nossa vivência coletiva”, acrescentou o líder dos socialistas, referindo exemplos concretos do que tem sido feito na Região, das soluções que “cumprem compromissos e respondem a desafios dos Açores e dos Açorianos”.

Vasco Cordeiro destacou também que os documentos em análise não se limitam a preocupações “com as grandes mudanças estruturais da nossa Região”, não respondem apenas “à situação conjuntural dos desafios que vamos vivendo”, nem respondem apenas “a situações de emergência como aquela que se vive na ilha das Flores”. Estes são documentos, acrescenta, que “respondem aquelo que é necessário fazer, neste momento, para vencer os desafios e as necessidades, dar as respostas que os Açorianos e os Açores precisam neste momento da nossa vida coletiva”.

O Presidente do PS Açores fez também questão de realçar que as propostas de Plano e Orçamento em discussão podem ser melhoradas com os contributos de outros partidos: “Que toda e qualquer proposta, que não desvirtuando aqueles que são os nossos compromissos, possa melhorar esses documentos cá estamos e cá estaremos para analisá-la, para enriquecê-la e para fortalecê-la”.

Francisco César, Presidente do Grupo Parlamentar do PS/Açores, referiu, no discurso de abertura das Jornadas Parlamentares, que o Plano e o Orçamento do próximo ano são “documentos derradeiros, da materialização daquilo que têm sido os compromissos do Partido Socialista”. Considera que neste último ano de legislatura está em avaliação “o trabalho que foi feito nos últimos três anos e que perspetiva aquilo que será o último ano de governação desta legislatura”.

Para o líder parlamentar no balanço dos três anos é preciso reconhecer que foi feito, “um bom trabalho, não isento de erros como qualquer trabalho, mas hoje temos orgulho em poder dizer, por exemplo, que nunca, em matéria de emprego, tivemos tantas pessoas empregadas como temos hoje: Hoje temos 116 mil Açorianos com emprego”. Francisco César apresentou, também os dados referentes à redução do desemprego, do rendimento disponível das famílias, dos apoios sociais, dos resultados na Educação e na Saúde, entre outros.

Em relação ao facto das jornadas se realizarem na ilha das Flores, Francisco César, recordou que a decisão tomada a 9 de outubro teve como objetivo “estar presente nas Flores, nas alturas mais difíceis. Nós podíamos ter feito uma visita curta, no sentido de tentar fazer um pequeno número mediático, mas optamos por passar aqui cinco dias. Cinco dias para conhecer a realidade da ilha, para apoiar a população nos momentos mais difíceis, mas sobretudo para ouvir, para compreender e se necessário for, dentro daquilo que são as nossas competências, os nossos recursos, podermos ajudar”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO