Hospital da Horta esclarece realização de diálise no Pico

0
102
DR
DR

Hospital da Horta

Relativamente às notícias difundidas pela Comunicação Social sobre a Unidade de Hemodiálise de Cuidados Aligeirados a funcionar na USI Pico, o Conselho de Administração (CA) do Hospital da Horta (HH) esclarece o seguinte:

O responsável pela direção clínica do serviço de Nefrologia e Hemodiálise do Hospital da Horta, como é hábito, obrigatório e para salvaguarda dos utentes, decidiu, no dia 31/05/2022, proceder à realização de análises suplementares naquela unidade para confirmação de segurança e das ótimas condições para os tratamentos de diálise.

Segundo avaliação realizada por laboratório independente, conclui-se que estava em causa a qualidade da água para diálise. Apesar de ouvidos o Serviço de Instalação e Equipamentos do HH e a empresa responsável pelo equipamento específico da estação, a Baxter, não se conseguiu determinar até agora a causa do desvio aparente dessa qualidade da água. Por poder haver um erro na análise foram solicitadas novas provas.

Assim, em conformidade e com a óbvia anuência do CA do HH, foi dada indicação imediata para que os tratamentos de hemodiálise, habitualmente realizados na ilha do Pico, fossem por agora executados na Unidade de Hemodiálise do Hospital da Horta, na ilha do Faial, garantindo desta forma a realização dos tratamentos em condições de segurança.

Esta determinação foi, pelo Director da Nefrologia e Diálise do Hospital da Horta e na presença da enfermeira coordenadora da unidade, devidamente explicada, presencialmente, no dia 01/06/2022, a cada um dos seis utentes que até à data se encontravam a realizar os seus tratamentos no polo de hemodiálise da ilha do Pico, tendo sido posto em andamento todo o processo logístico necessário e inerente, de forma a garantir a deslocação dos utentes ao HH em tempo útil e agilizar o regresso ao seu domicílio no próprio dia.

O HH lamenta todo o incómodo decorrente desta situação, para além do alarmismo social desnecessário levantado, à qual é totalmente alheio, sendo ocorrências passíveis verificação em qualquer unidade deste tipo, e garante que todos os esforços estão a ser tomados, ainda que nem sempre tão céleres quanto desejaríamos, para que, o mais brevemente possível, os utentes voltem a realizar os seus tratamentos de diálise na sua ilha de residência, primando sempre pelos melhores cuidados em total segurança.