Hospital da Horta – Terapia da Fala do Serviço de Medicina Física e Reabilitação assinala Dia Mundial da Voz com rastreio

0
53
TI

TI

A área de Terapia da Fala do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital da Horta E.P.E.R. associou-se às comemorações do Dia Mundial da Voz com a realização de um rastreio às Perturbações da Voz dirigido à população em geral.
O Dia Mundial da Voz, tem como objetivo promover a saúde do aparelho vocal, assim como prevenir doenças da laringe.

No passado dia 16 de abril, celebrou-se o Dia Mundial da Voz. Este dia foi comemorado, pela primeira vez, em 2003, por sugestão de Mário Andrea, professor de Otorrinolaringologia (ORL) da Faculdade de Medicina de Lisboa, na primeira reunião da Sociedade Europeia de Laringologia (Euro-pean Society of Laringology), à qual presidiu.
A área de Terapia da Fala do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital da Horta E.P.E.R. associou-se a esta data, que tem por objetivo alertar para a importância da voz e os cuidados necessários para a preservar.
Nesse âmbito, promoveu rastreios gratuitos à população em geral para deteção de sintomas que evidenciem perturbação vocal. O rastreio decorreu no hall de entrada do Hospital da Horta e, segundo a terapeuta da Fala Ana Alves “o objetivo foi alertar as pessoas para os problemas da voz e para deteção precoce de eventuais patologias ou perturbações vocais”.
Em declarações ao Tribuna das Ilhas, a responsável pela área de Terapia da Fala do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital da Horta explicou que “qualquer pessoa pode sofrer de problemas vocais desde que tenha um uso vocal abusivo e hábitos vocais pouco saudáveis”, adiantando a este respeito que “os profissionais da voz, como professores, cantores, profissionais ou amadores, os jornalistas, pessoas que têm um uso vocal grande, são o grupo de maior risco, uma vez que apresentam um maior uso vocal diário”.
No entender de Ana Alves estes “profissionais da voz deveriam ser submetidos a rastreios vocais pelo menos uma vez por ano, pois são uma população de maior risco para estas perturbações”.
Segundo a terapeuta “os hábitos vocais não saudáveis, estão relacionados com o tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas, gritar, usar a voz durante períodos prolongados de tempo e com intensidade forte, entre outros”.
De acordo com a profissional de saúde, a “rouquidão por um período superior a 15 dias, desconforto ou dor ao falar, voz fraca após um período de tempo a falar” são os sintomas mais comuns das perturbações da voz.
A par do rastreio, a iniciativa incluiu uma vertente informativa e preventiva através da exposição de um placar informativo e da distribuição de folhetos com vista a sensibilizar para a importância dos cuidados a ter com a voz.
A voz não é simplesmente um produto da laringe, e mais especificamente das pregas vocais, mas sim uma complexa função que integra diferentes sistemas, como a função respiratória, a deglutição e a função fonatória.
Para que a voz seja produzida é necessária a interação e integridade de órgãos de diferentes sistemas do corpo humano.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO