I Jornadas de Geografia e Ambiente

0
9

Durante três dias o Faial foi palco das I jornadas de geografia e ambiente, uma organização do grupo de geografia da Escola Secundária Manuel de Arriaga, em colaboração com a Associação de Defesa do Ambiente – Azorica e Câmara Municipal da Horta.

De acordo com a organização a importância do estudo da geografia está relacionada com a necessidade de se conhecer o espaço geográfico, quer o natural, quer o humanizado que está em constante transformação ao longo do tempo.

“Este conhecimento permite-nos colaborar ativamente num melhor ordenamento do território e numa ativa preservação do ambiente, com vista, sempre, a um desenvolvimento sustentável” – referem.

Esta primeira edição das jornadas teve início terça-feira. Na sessão de abertura, Eugénio Leal, presidente do Conselho Executivo da Escola Secundária Manuel de Arriaga,  afirmou que “a escola acolheu com satisfação esta iniciativa uma vez que se tratam de duas áreas indissociáveis.”

O responsável por aquele estabelecimento de ensino fez ainda menção às boas práticas ambientais que são desenvolvidas na ESMA, desde o galardão Eco-Escolas, ao clube Eco-Escolas, à central de compostagem que vai ser reactivada. Eugénio Leal lembrou ainda que a ESMA está a proceder à substituição das lampadas

 

 

Carla Pinheiro, presidente da AZORICA, afirmou na ocasião, “enquanto associação de cariz ambiental desenvolvemos atividade de cariz regular há mais de 20 anos sempre na defesa e protecção do ambiente, assim aceitamos com grande agrado o convite que nos foi endereçado pelo departamento de geografia da escola para participar na organização destas jornadas.”

Para aquela associação ambientalista, “é nosso entender que estes eventos são de extrema utilidade, seja numa óptica de conhecimento, bem como de preservação do espaço natural, pois só através do conhecimento é possível promover e despertar consciências de responsabilidade ambiental e social, sendo que os jovens de hoje serão os adultos de amanhã.”

“Estamos certos de que estes eventos contribuirão para formarmos adultos mais responsáveis e empenhados” – frisou Carla Pinheiro.

Quem também marcou presença neste evento foi a vereadora Ester Pinto Pereira em representação do presidente da Câmara Municipal da Horta.

“Ao longo destes três dias de jornadas serão apresentadas estratégias para educar para a sustentabilidade e como incutir preocupações ambientais nas camadas mais jovens. Logo, estas jornadas são para vocês, para os jovens do concelho, no sentido de educarem também os vossos pais, amigos e familiares” – afirmou a vereadora dirigindo-se aos alunos que encheram o anfiteatro.

Ester Pinto Pereira frisou ainda que “a preocupação com o meio ambiente tem estado muito presente na CMH que há mais de uma década percorre todos os estabelecimentos de ensino com programas de sensibilização ambiental que têm sido articulados com a necessidade de se promoverem boas práticas ambientais. Incentivar a separação, a triagem de resíduos e a compostagem doméstica, bem como ensinar a lidar com os variados tipos de resíduos que se produzem no dia-a-dia, são outros dos propósitos das iniciativas que a autarquia tem promovido” – explicou.

A primeira sessão de trabalhos visou “A Gestão de resíduos na ilha do Faial” e foi proferida por um técnico da CMH. Durante este primeiro dia também se realizou uma saída de campo com visita ao novo Centro de Triagem da Ilha do Faial, bem como foi inaugurada a exposição “Geografia e Ambiente”, uma interdisciplinaridade no conhecimento e preservação do espaço geográfico na biblioteca da escola. 

No dia 23 a primeira sessão teve como orador Lúcio Cunha da Universidade de Coimbra e realizou-se uma saída de campo ao completo do Monte da Guia.

Hoje, quinta-feira, os trabalhos começaram com uma palestra sobre “Coastwatch – a preservação e monitorização da orla costeira”, com Guilhermina Galego do Grupo de Estudos e Ordenamento do Território e Ambiente. Segue-se uma saída de campo para  a aplicação dos questionários e observação da orla costeira e uma acção de limpeza da zona costeira contigua à escola.

 

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO