Igualdade no acesso a assistência médica e cuidados de saúde na região

0
25
Pedro Neves
TI

É necessário promover medidas preventivas no que respeita a saúde dos açorianos, dentro do quadro da alimentação saudável para combater a obesidade, diabetes, hipertensão, colesterol, isto para dar alguns exemplos.
Mas além de uma dieta correcta e adequada para minimizar os factores de risco mensuráveis e causadores de morbimortalidade, precisamos também de ter medidas de monitorização e controlo de um verdadeiro problema de saúde pública, nomeadamente a doença cardio-cerebro-vascular, que em termos de taxa de mortalidade, com dados do Instituto Nacional de Estatística, são cerca de 30%, sendo proporcionalmente mais elevada nos Açores, que apresentam uma relevância de 286 óbitos por 100.000 habitantes. Em 2018 temos, também no INE, um valor de cerca de 12 anos para Portugal no indicador de Anos Potenciais de vida perdidos por doenças cerebrovasculares.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO