Ilhas mais pequenas são as “grandes prejudicadas” pelo executivo e SATA

0
76

O líder do PSD/Açores disse que a “falta de rumo” do Governo Regional na gestão do grupo SATA faz com que as ilhas mais pequenas sejam as “grandes prejudicadas”, por ausência de alternativa de transporte aéreo.

Para Alexandre Gaudêncio, citado em nota de imprensa enviada pelo partido, “as ilhas mais pequenas acabam por ser as grandes prejudicadas da falta de rumo deste Governo Regional socialista na gestão da SATA”.
“Embora a preocupante situação da SATA prejudique toda a região, os açorianos que vivem nas ilhas mais pequenas acabam por ser os grandes sacrificados, pois não têm quaisquer alternativas de transporte aéreo”, disse o dirigente social-democrata.
O presidente do maior partido da oposição nos Açores, que falava no final de uma visita à ilha de São Jorge, no âmbito das jornadas parlamentares do partido, referiu que “o descalabro a que o governo do PS conduziu a SATA tornou-a incapaz de responder às necessidades das populações”.
O líder ‘laranja’ considera que “este Governo Regional está a fazer muito mal à SATA e quem paga são as pessoas de ilhas como São Jorge”, sendo que, “por culpa deste governo socialista, a SATA deixou de prestar um bom serviço nas ligações aéreas para a ilha, prejudicando as pessoas e a economia local”.
Segundo Alexandre Gaudêncio, desde que Vasco Cordeiro é presidente do Governo Regional que São Jorge “já perdeu quase 10% da sua população”, o que “é também resultado da falta de um sistema de transportes eficiente e que sirva verdadeiramente os jorgenses”.
O dirigente exemplificou que “muitos jorgenses, após muito tempo de espera para marcar uma consulta ou cirurgia no exterior, acabaram por perder essas marcações, devido à falta de lugares na SATA”, sendo o executivo e as sucessivas administrações que nomeou para a companhia “os responsáveis”.
Para Alexandre Gaudêncio, também nos transportes marítimos a ilha de São Jorge “não está a ser convenientemente servida, o que tem implicações ao nível do turismo”, setor que a par da agricultura “é essencial para que se possa inverter a tendência de perda de população”.
O líder do PSD/Açores defendeu ainda o reforço de ligações marítimas entre São Jorge e o Pico”, duas ilhas que a par do Faial formam o denominado triângulo no grupo central do arquipélago.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO