Inauguração do Centro de Saúde da Madalena – Vasco Cordeiro anuncia serviço 24 horas para evitar deslocações de doentes

0
18

O Presidente do Governo dos Açores inaugurou este fim-de-semana o novo Centro de Saúde da Madalena, um investimento de cerca de 12 milhões de euros, que está dotado de uma unidade de internamento com capacidade para 35 pessoas, em 15 quartos duplos e 5 quartos individuais, que irá dar também, uma resposta mais qualificada em termos de medicina geral e familiar.

Segundo Vasco Cordeiro, o Governo, pretende que este novo Centro de Saúde da Madalena, com uma área cinco vezes superior à das anteriores instalações, em articulação com o Hospital da Horta, possa disponibilizar, 24 horas sobre 24 horas, os serviços de um médico de medicina interna, tendo em vista dar resposta às situações de urgências agudas e dar apoio aos internamentos, evitando-se, por esta via e sempre que possível, um grande número de deslocações de doentes.

“Além disso, passará a dispor de um médico de Medicina Geral e Familiar em presença física durante o período da noite, em vez de prevenção, para reforçar a resposta aos cidadãos que vivem nesta ilha”, divulgou o Presidente do Governo.

Esta nova unidade de saúde, tem ainda, capacidade para disponibilizar cuidados de qualidade noutras áreas de intervenção, como é o caso dos cuidados de enfermagem, fisioterapia, das análises clínicas e dos restantes exames complementares de diagnóstico e tratamento, para as especialidades médicas de Ginecologia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Pediatria.

Acolhe ainda o serviço de apoio domiciliário e dispõe de gabinetes para a execução dos programas de hipertensão, de diabetes e de seguimento de grávidas.

Cordeiro aproveitou esta oportunidade para anunciar uma série de medidas que visam melhorar a qualidade dos serviços de saúde disponibilizados na ilha do Pico.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo revelou que o Executivo pretende dar início à instalação de uma secção destacada de bombeiros na zona da Piedade, dotada com a respetiva ambulância, de forma a permitir uma melhor cobertura de emergência nessa zona da ilha e reforçar as condições da atual rede de emergência. Neste contexto, divulgou que o Governo vai iniciar, ainda durante este mês, formação necessária para que a ilha fique dotada de uma viatura de Suporte Imediato de Vida, (SIV).

Vasco Cordeiro, revelou também que já foram dadas ao Secretário Regional da Saúde orientações no sentido de ser apresentada uma proposta de solução de raiz para o Centro de Saúde das Lajes do Pico.

De acordo com o presidente, atualmente, os três centros de saúde que compõem a Unidade de Saúde da Ilha do Pico dispõem de 18 médicos, dos quais seis estão a tirar o internato, 48 enfermeiros e 18 Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica.

Com estes profissionais, revela Cordeiro, é “já percetível o crescimento da oferta assistencial em áreas como medicina dentária, consultas de nutrição, consultas de psicologia, como também é evidente o aumento substancial de meios de diagnóstico e terapêutica, de sessões de fisioterapia e de terapia da fala”.

Nos últimos dois anos, nesta Unidade de Ilha, as consultas de nutrição aumentaram cerca 36%, as sessões de fisioterapia registaram um crescimento a rondar os 12% e as de terapia da fala de mais de 20%, revelou o Presidente do Governo.

Esta obra é para o governante, mais uma prova que as medidas de reorganização de serviços que estão a ser implementadas no Serviço Regional de Saúde se destinam a agilizar procedimentos e a gerir melhor os recursos, de modo a que “todas as energias e todos os esforços possam ser direcionados para o utente”.

Vasco Cordeiro salientou que, no conjunto da Região, nos últimos dois anos, as unidades de saúde aumentaram em cerca de 6% o número de consultas prestadas e, nos três hospitais, o número de consultas cresceu perto de 13 %, enquanto que, o número de cirurgias registou um aumento de quase 20%.

 “Isto aconteceu, ao mesmo tempo que, no mesmo ano, os hospitais e as unidades de saúde da Região registaram, relativamente ao ano anterior, uma poupança de cerca de 9,2 milhões de euros na aquisição de medicamentos e material clínico e no fornecimento de serviços externos”, frisou o Presidente do Governo.

Para Vasco Cordeiro, essa melhor gestão, só foi possível, através de uma melhor organização de recursos e do diálogo e da articulação com todos os intervenientes e também entre as administrações dos Hospitais e das Unidades de Saúde.

Apesar do muito trabalho feito, o Governo reconhece que há “enormes desafios” com que o Serviço Regional de Saúde está confrontado em diversas áreas, nomeadamente na questão dos médicos de família, salientando que neste âmbito, estão a ser revistas as listas de utentes das unidades de saúde, no sentido de as atualizar em função dos recursos humanos que existem atualmente, assim como dos que poderão entrar ao serviço na Região, em função dos incentivos criados ou à medida que forem completando o internato médico.

 Outro dos desafios do Serviço Regional de Saúde, apontado por Cordeiro, tem a ver com a reorganização de serviços, no sentido de agilizar procedimentos e de melhor gerir recursos, de modo a que todas as energias e todos os esforços possam ser direcionados para o utente.

 

 

 

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO