Investimento de 13 milhões de euros em infraestruturas agrícolas melhora condições de trabalho dos agricultores micaelenses

0
14
DR/GACS
DR/GACS

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que o investimento superior a 13 milhões de euros que o Governo dos Açores realiza na atual legislatura na ilha de São Miguel em infraestruturas agrícolas permitiu melhorar as condições de trabalho dos agricultores e capacitar o setor para enfrentar desafios futuros.

“Se compararmos a atual legislatura com a anterior, mais do que duplicou o investimento público em caminhos, abastecimento de água e eletrificação das explorações agrícolas na ilha de São Miguel, infraestruturas essenciais para reduzir custos de produção e aumentar a competitividade das explorações”, afirmou João Ponte, acrescentando que é “uma prova da aposta do Governo no reforço das infraestruturas agrícolas não apenas nesta ilha mas em toda a Região”.

O governante salientou que, só em 2020, serão investidos 1,6 milhões de euros em caminhos agrícolas na ilha de São Miguel.

João Ponte falava na inauguração do caminho rural dos Arrebentões, na freguesia das Sete Cidades, concelho de Ponta Delgada, com 1.230 metros de extensão e que serve quase duas dezenas de explorações agrícolas, representando um investimento superior a 560 mil euros.

“O Governo dos Açores está hoje a honrar mais um compromisso assumido com os agricultores, que permite responder a múltiplos desafios, como seja o de tornar esta caminho em particular mais seguro, face à sua grande inclinação, solucionar a problemática do material sólido que antes escorria para a Lagoa das Sete Cidades em situações de muita pluviosidade e melhorar a circulação de uma via, que passa de um piso de terra batida para betão”, frisou João Ponte.

Para o Secretário Regional, o investimento feito em infraestruturas agrícolas, além de estratégico, é um desafio permanente, que importa prosseguir no futuro com o máximo empenho e em articulação entre os agricultores, as associações do setor, o poder local e o Governo dos Açores.

“Todos somos chamados a ajudar a construir um setor agrícola mais forte, mais capacitado e capaz de ser ainda mais eficiente e rentável”, afirmou João Ponte.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO