João Ponte destaca desenvolvimento positivo da agricultura e defende melhor valorização das produções para aumentar rendimento dos produtores

0
19
dr

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas destacou hoje, em São Jorge, que, apesar do inegável desenvolvimento positivo do setor agrícola nos Açores nos últimos anos, é fundamental continuar a trabalhar ao nível da valorização das produções, de forma articulada com todo o setor, para assegurar melhores rendimentos aos produtores.

“Este é um encontro marcado pela confiança no futuro do setor e, apesar do trabalho positivo e de desenvolvimento que já foi feito, é ainda preciso continuar a trabalhar para melhorar a valorização das produções agrícolas, que é o grande desafio do setor”, afirmou João Ponte, que falava, nas Velas, à margem da reunião do Conselho Regional da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

O governante destacou que para se conseguir valorizar melhor, por exemplo, os produtos lácteos é necessário reforçar a aposta na inovação, mas também na notoriedade, um trabalho que está já a ser feito, apontando a campanha em curso no mercado do Canadá do queijo dos Açores, através do Centro Açoriano de Leite e Lacticínios (CALL), bem como uma campanha que o Governo Regional vai promover este ano no mercado nacional para aumentar a notoriedade das produções lácteas açorianas junto dos consumidores.

Por outro lado, João Ponte considerou ser muito importa que as indústrias continuem a inovar e a apostar em novos produtos, capazes de gerar mais valor, sendo que, para isso, o Plano Estratégico para os Lacticínios dos Açores será “um instrumento fundamental para ajudar a indústria a valorizar melhor as suas produções e, por esta via, conseguir redistribuir mais rendimento pelos produtores, assegurando, assim, a sustentabilidade ao setor leiteiro”.

Aos conselheiros, o Secretário Regional salientou que o Executivo está a desenvolver e a implementar medidas concretas, como a reestruturação do setor do leite, através da reforma antecipada dos agricultores mais idosos, o programa Jovens Agricultores, que visa atrair mais jovens para o setor, ou ainda os novos programas PROAGRI e I9AGRI, vocacionados para investimentos na inovação e para melhorar a eficiência das explorações agrícolas.

João Ponte referiu que, ao nível das infraestruturas agrícolas, foram investidos mais 14 milhões de euros em caminhos, abastecimento de água e eletrificação das explorações na atual legislatura, em comparação com a anterior, o que “é muito importante para a melhoria das condições trabalho dos agricultores, para a redução de custos de produção e a melhoria da competitividade das explorações”.

Relativamente à Política Agrícola Comum (PAC) para o período 2020 – 2021, o governante afirmou que tanto o Governo Regional, como as organizações de produtores e a Federação Agrícola dos Açores, estão empenhados e a trabalhar para garantir uma boa proposta, que seja capaz de continuar a ajudar o setor agrícola a crescer e a melhorar o rendimento dos agricultores.

“Neste Conselho Regional existe unanimidade quanto à necessidade de uma futura PAC, que, no caso do programa POSEI, garanta aos agricultores dos Açores o mesmo nível de dotação das ajudas que serão atribuídas aos agricultores do continente e, no caso do Programa de Desenvolvimento Rural, seja possível reduzir o corte proposto pela Comissão Europeia, porque são verbas fundamentais para continuar o desenvolvimento do setor”, afirmou João Ponte.

Para o governante, o facto de ter já uma taxa de compromisso de 90% e uma taxa de execução 67% no PRORURAL+ são sinais importantes de confiança no futuro, sendo que a abertura dos novos avisos constituem mais oportunidades para continuar a modernizar o setor e a atrair mais jovens, algo essencial para garantir a sustentabilidade da agricultura na Região.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO