Jornadas da Qualidade Global em Saúde

0
10

O Hospital da Horta recebeu quinta e sexta-feira as Jornadas da Qualidade Global em Saúde – programas, modelos e experiências.

Trata-se de uma iniciativa que visa, acima de tudo, discutir e analisar as questões relacionadas com a qualidade do serviço de saúde, organizada pelo Hospital da Horta, através do seu Núcleo de Formação, em parceria com a Unidade de Saúde de Ilha do Faial, e a secção regional da Ordem dos Enfermeiros.

Na sessão de abertura destas jornadas, João Morais, presidente do conselho de administração do Hospital da Horta afirmou aos presentes que “à semelhança do que aconteceu noutras unidades hospitalares, o Hospital da Horta iniciou a sua acreditação pela CHKS em 2007, tendo concluído a sua primeira auditoria externa em 2012, apresentado uma taxa de cumprimento de 82%, ficando muito próximo da acreditação total. Enquanto o Hospital da Horta fazia a sua reflexão interna sobre a concretização da acreditação total e sendo necessário avançar para a assinatura de um novo contrato e realizar uma nova auditoria externa, a Secretaria Regional da Saúde encontrava-se a efetuar uma avaliação ao processo de acreditação pela CHKS, bem como a avaliar outros processos de outras entidades acreditadoras internacionais. Dada a simultaneidade das reflexões foi entendido não renovar o processo com a CHKS e iniciar o processo de acreditação do Hospital da Horta pela Joint Commission International”.

Ainda de acordo com Morais, “mais do que contratualizar programas de acreditação em qualidade estamos a utilizar as ferramentas que nos são facultadas para operar nesta instituição as mudanças necessárias de forma a que a qualidade passe a fazer parte do código genético do seu funcionamento”.

Tiago Lopes, responsável da secção regional da Ordem dos Enfermeiros mostrou-se satisfeito pela realização destas jornadas na medida em que “quando se fala em qualidade falamos inevitavelmente em qualidade dos serviços de enfermagem”, pelo que não entende porque existem “alguma renitência e reticencia em colocar enfermeiros em cargos de direção e coordenação”.

“Os enfermeiros são o grupo profissional em que mais é incutida a preocupação relativa à qualidade”, afirma Tiago Lopes.

Também o presidente da autarquia faialense esteve presente nestas jornadas e sublinhou a pertinência das mesmas, “sobretudo quando em causa está o bem estar e a qualidade de vida das pessoas”.

José Leonardo Silva referiu-se ainda aos projetos em prol da saúde que a CMH tem promovido, mormente o “Faial Ativo” que visa promover hábitos de vida saudáveis entre a população sénior.

O Secretário Regional da Saúde, Luís Cabral, anunciou na ocasião que os processos de auditoria que serão efetuados este ano vão permitir que os Açores sejam “a única Região do país a ter um sistema de Triagem de Manchester contínuo e auditado, desde o pré-hospitalar até ao componente hospitalar”, o que garante “segurança aos utentes”.

Luís Cabral, frisou que os processos de acreditação e auditorias internas e externas no Serviço Regional de Saúde são medidas que visam “a melhoria constante dos cuidados prestados e a sua qualidade”.

“Além da acreditação internacional dos hospitais, já obtida pelo Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, temos em curso processos de acreditação nas Unidades de Saúde de Ilha de São Miguel, Terceira, São Jorge e Faial, bem como processos de auditoria externa aos serviços de sangue e de triagem dos serviços de urgência dos três hospitais e processos de auditoria externa internacional ao sistema de Triagem de Manchester telefónica implementado pelo Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores”, afirmou Luís Cabral.

O Secretário Regional garantiu que o Governo dos Açores está empenhado em “criar soluções que assegurem a constante melhoria dos serviços prestados aos utentes”, reafirmando o desafio que lançou a todos os profissionais de saúde para “conceberem projetos de melhoria contínua que aumentem a qualidade e proximidade do Serviço Regional de Saúde”.

“A qualidade global dos cuidados de saúde é um dos objetivos que mais atenção merece por parte da Secretaria Regional da Saúde porque permite atingir novos patamares e assim garantir um serviço de saúde público adequado a todos os Açorianos”, frisou Luís Cabral.

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO