Lara Martinho alerta para dificuldades no envio de encomendas para Canadá e EUA

0
13
DR
DR

A deputada do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República, Lara Martinho, manifestou novamente preocupação, em audição regimental ao Ministro das Infraestruturas e Habitação, por continuar a ser sentida a deterioração na prestação do serviço por parte dos CTT na Região, salientando “na Região Autónoma dos Açores (RAA) continua a ser sentida a degradação na prestação de serviços por parte dos CTT.  Os atrasos continuam a ocorrer nas encomendas entre Portugal Continental e os Açores, bem como no correio inter-ilhas, afetando todas as ilhas.”

Quanto aos atrasos nas encomendas de correio Internacional para os Açores estes continuam a ser mais acentuados em particular em determinadas ilhas, o que não se verificava antes da reorganização logística, nomeadamente com a eliminação de postos de desalfandegamento em Angra do Heroísmo e Horta. “São múltiplos os relatos de situações em que as encomendas aguardam semanas pelo desalfandegamento o que causa grandes contratempos aos cidadãos e penaliza fortemente as empresas açorianas” reforçou a deputada socialista.

A par destes atrasos, Lara Martinho afirmou que “fomos confrontados com uma nova dificuldade que se prende com a aplicação das novas regras sobre o envio de encomendas extracomunitárias que entraram em vigor a 1 de janeiro. A informação disponibilizada pelos CTT sobre o novo procedimento nos envios internacionais refere que o preenchimento do formulário exclusivamente online com os dados alfandegários do envio passa a ser obrigatório”, sob pena do seu envio poder vir a ser devolvido, afirmou a parlamentar.

Para a vice-presidente do GPPS, que intervinha na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, “este é um serviço que, no caso dos Açores, é muito utilizado por pessoas mais idosas, muitas delas sem conhecimentos informáticos ou acesso à internet”.

Assim, e referindo, no decorrer da audição, as várias queixas recebidas a alertar para as dificuldades acrescidas às pessoas sem internet e, acima de tudo, às pessoas sem conhecimentos de informática, Lara Martinho alerta para que esta nova obrigação de preenchimento alfandegário exclusivamente online para as encomendas enviadas para os EUA e Canadá, penaliza acima de tudo as pessoas com mais idade e, “limita-lhes, também, a autonomia, dado que ficam sempre dependentes da caridade de algum familiar ou amigo”.

Nesse sentido, e sublinhando que de acordo com a informação disponibilizada pelos CTT todos os clientes estão abrangidos por esta nova regra, a deputada do PS/Açores defendeu a necessidade de “salvaguardar que este tipo de serviço possa ser prestado nos balcões dos CTT e de forma gratuita”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO