Lara Martinho defende que organizações regionais devem candidatar-se aos 183M€ para promoção de produtos

0
40
DR/PS
DR/PS

A deputada do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República, Lara Martinho, defendeu, em sede de audição regimental à Ministra da Agricultura, a abertura de novos mercados para a exportação de produtos lácteos, apelando, na ocasião, a que as empresas açorianas, que produzem cerca de 50% da produção nacional de queijo, sejam envolvidas neste processo.

Com a internacionalização dos produtos a ser uma das prioridades do Ministério da Agricultura, por via de se continuar o crescimento das exportações e do reconhecimento dos produtos portugueses, a vice-presidente do GPPS salientou que os 183 milhões de euros disponibilizados pela Comissão Europeia para 2021, para a promoção dos produtos agroalimentares da União, “cujas candidaturas serão abertas este mês para organizações comerciais, de produtores e responsáveis pelas atividades de promoção”, são “uma oportunidade que as nossas organizações não podem desperdiçar”.

A parlamentar, que alertava para a importância de não se descurar, a par da promoção, a abertura de novos mercados, manifestou ter sido com satisfação “que tomámos conhecimento da evolução das exportações a nível nacional”.

Nesse sentido, Lara Martinho reforçou “a importância fulcral da abertura de novos mercados para os produtos lácteos, envolvendo, claro, as empresas açorianas que produzem cerca de 50% da produção nacional de queijo”, considerando ainda a relevância de uma avaliação efetiva de quais os mercados mais estratégicos para cada setor.

Na audição, a deputada socialista manifestou ainda a sua preocupação com o impacto do Brexit nas exportações e importações portuguesas, questionando sobre se existe “algum acompanhamento sistemático, por parte do Ministério, referente à evolução das exportações e importações neste período pós-Brexit”.

Lara Martinho questionou ainda quanto ao montante da Reserva de Ajustamento do Brexit, que visa minorar as consequências económicas e sociais nos setores mais afetados pela saída britânica da União Europeia, para confirmar se o valor de 55 milhões de euros, que a Comissão Europeia transmitiu informalmente que Portugal receberá, se confirma e de que forma terão acesso e serão aplicadas essas verbas.

Em relação aos novos mercados e à internacionalização, a Ministra Maria do Céu Antunes sublinhou a especial atenção que o ministério tem vindo a conferir aos setores mais vulneráveis, destacando, nesse sentido, o desbloqueio alcançado, no final do ano passado, relativamente ao comércio de lácteos no Brasil.

“Continuaremos a acompanhar esta dimensão de forma muito próxima, atentos que estamos às oportunidades do nosso país, mas também atentos que estamos às dificuldades de escoamento dos nossos produtores neste contexto de crise em que nos encontramos”, reforçou a Ministra da Agricultura.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO