LNEC vai apresentar soluções para o porto da Horta incluindo possíveis alterações ao molhe norte

0
36
DR
DR

No seguimento da aprovação de uma proposta do Bloco de Esquerda, o Laboratório Nacional de Engenharia Civil vai realizar uma auditoria técnica ao molhe norte do porto da Horta e apresentar as soluções técnicas necessárias e consideradas ótimas para o futuro do porto, sem excluir eventuais modificações no próprio molhe norte.
António Lima mostrou-se satisfeito com a aprovação desta proposta, porque ela vai garantir que “todos os estudos são realizados e que todas as hipóteses são colocadas cima da mesa” e que “aquilo que se fizer no porto da Horta seja bem feito e sirva os operadores, sirva a cidade da Horta, o Faial, e os Açores”.

O Bloco de Esquerda consegue assim assegurar que o LNEC vai avaliar a eventual implicação do molhe norte na boa funcionalidade e segurança interiores do porto do Horta, e que serão apresentadas as soluções para resolver os problemas existentes, acompanhadas pelos respetivos projetos financeiros para cada uma delas, elaborados por entidades reconhecidamente capacitadas para o efeito.

A proposta do Bloco de Esquerda, aprovada hoje, determina que os relatórios dos estudos
realizados serão entregues ao parlamento, à Comissão Municipal para os Assuntos do Mar do concelho da Horta e à Assembleia Municipal da Horta.
Recorde-se que o projeto do molhe norte, inicialmente estudado com determinada dimensão e ângulo, foi substituído por outro de muito menor dimensão e diferente posicionamento, sem que tivesse sido realizado qualquer estudo físico por uma entidade qualificada e certificada.

Apesar dos avisos imediatos dos utilizadores e conhecedores do porto, que desde logo
colocaram perentórias reservas a esta alteração, a obra continuou sem ter em conta os
estudos técnicos necessários e as opiniões avisadas de quem conhece o mar o porto.
O tempo tem provado que esta grande e dispendiosa obra foi tratada com menos seriedade do que aquela que era exigida e que – mais grave ainda – não teve em conta os reais interesses da economia da ilha e o respeito que merecem os faialenses.
Na sequência dos problemas que, ao que tudo indica, terão sido originados pela primeira fase da obra, o governo anterior, através da empresa “Portos dos Açores”, ensaiou a apresentação de vários projetos para a segunda fase que não só não convenceram os diversos utilizadores do porto, como fizeram mesmo levantar uma firme objeção por parte dos mesmos.

A “Portos dos Açores” encomendou, então, um estudo em modelo físico reduzido sobre a
agitação marítima no porto da Horta, tendo presente a situação de projeto relativa à
denominada requalificação do Porto Comercial da Horta.
Incompreensivelmente, este estudo não contemplava uma análise ao molhe norte, nem
procurava solucionar os seus problemas. Esta lacuna do estudo encomendado fica agora
colmatada com a aprovação desta proposta do Bloco de Esquerda, que vai garantir as
ferramentas necessárias para que as decisões sobre o futuro do porto da Horta sejam tomadas com segurança e rigor técnico: “Uma obra desta envergadura e com esta importância para ilha, só se faz uma vez na vida e deve ficar bem feita”, lê-se no documento aprovado.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO