Macau pondera colocar mais países europeus na lista de alta incidência epidémica

0
5
DR
O Governo de Macau disse hoje que está a ponderar colocar mais países europeus na lista de alta incidência epidémica de Covid-19 e assim impor uma quarentena de 14 dias a quem tenha estado nesses países.
Esta afirmação surge um dia depois de ter entrado em vigor a imposição de uma quarentena de 14 dias para quem tenha estado na Alemanha, Espanha, França ou Japão nos 14 dias anteriores à entrada em Macau, território que há 36 dias que não regista casos novos de infeção.

Esta medida vigora também, há algumas semanas, para as pessoas provenientes da Coreia do Sul de Itália e do Irão.

“Estamos a pensar integrar outros países na lista de alta incidência”, afirmou a coordenadora do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Leong Iek Hou, na conferência de imprensa diária do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

A responsável ressalvou, contudo, que as autoridades ainda estão numa fase de apreciação e estudo para aumentar a ‘lista vermelha’ de países europeus, onde se tem registado um rápido crescimento do surto nas últimas semanas, ao contrário do que se verifica na China continental.

“Registamos abrandamento na China”, afirmaram as autoridades.

Na mesma conferência, o Governo de Macau pediu aos residentes do território para reconsiderarem a viagens para o Japão, Alemanha, França e Espanha, depois de ter subido o nível de alerta para estes países.

Dos 2.102 casos suspeitos em Macau, 2.080 foram excluídos pelas autoridades, com 12 à espera de resultados de análises, não existindo neste momento pessoas em isolamento.

Nas últimas 24 horas foram efetuados 145 testes, sublinharam as autoridades de saúde, no dia em que se cumpre o 36.º dia sem novos casos no território.

Atualmente, 259 pessoas estão sob quarentena na Pousada Marina Infante, sendo que 231 são trabalhadores não residentes e 28 residentes.

No Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane estão 62 pessoas de quarentena, incluindo 57 residentes de Macau retirados, no sábado, da cidade chinesa de Wuhan, centro do surto do novo coronavírus.

Na terça-feira, as autoridades registaram 78 mil movimentos nas fronteiras do território, dos quais 39 mil entradas e 39 mil saídas.

Há 36 dias sem casos novos de infeção, Macau registou dez doentes, tendo todos já recebido alta hospitalar. Três continuam em isolamento na convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane.

As autoridades acrescentaram ainda que 80 pessoas que estiveram em áreas epidémicas como o Japão, China, Espanha, Coreia do Sul e Alemanha encontram-se em observação médica. Destes, 54 estão em isolamento nas suas residências e 26 encontram-se num hotel.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.200 mortos.

Cerca de 117 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 631 mortos e mais de 10.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo as últimas informações da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgadas na terça-feira.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO