Museus dos Açores assinalam Jornadas Europeias do Património Cultural

0
12

A Secretaria Regional da Educação e Cultura, através da Direção Regional da Cultura e com a colaboração dos museus da Região, realiza, entre 25 e 27 de setembro, um conjunto de iniciativas para assinalar as Jornadas Europeias do Património Cultural.

 

As iniciativas, alusivas ao tema “Património e Educação”, serão desenvolvidas em todo o arquipélago pelos museus tutelados pela SREC, correspondendo ao convite da Direção-Geral do Património Cultural para a participação nestas jornadas europeias.

 

O Museu de Angra do Heroísmo associa-se às celebrações realizando, a 26 de setembro, pelas 14h00, a oficina de azulejaria “Natureza Avulsa”, com a ceramista Maria Aurélia Rocha.

 

Nesta atividade, promovida em colaboração com o Centro Regional de Apoio ao Artesanato, evoca-se a tradição dos azulejos de figura única para criar peças de azulejaria inspiradas na flora e fauna da antiga cerca do antigo Convento de São Francisco, atual Jardim Duque da Terceira.

 

Esta iniciativa, destinada ao público adulto e juvenil, é gratuita, mas limitada a 10 participantes, devendo as inscrições ser feitas através do telefone 295 240 800 ou do email [email protected].

 

Por seu lado, o Museu do Pico produziu e vai apresentar nas suas plataformas digitais um pequeno filme, intitulado “Até ao lavar dos cestos…”, que visa enaltecer e homenagear as atividades tradicionais ligadas à cestaria e a sua utilização.

 

Na ilha de São Miguel, o Museu Carlos Machado vai exibir online a mostra “Para que o Céu não nos Caia em Cima da Cabeça”, uma exposição virtual que explora os conteúdos identitários, culturais e patrimoniais presentes nas coleções do museu e que se relacionam com o espaço, o tempo, o habitar, a arquitetura, os saberes, os rituais e as superstições.

 

O Museu de Santa Maria promove, por seu lado, uma atividade relacionada com os fontanários da ilha.

 

Existem ainda 74 fontanários em Santa Maria e a sugestão é observá-los mais atentamente e fotografá-los.

 

No dia 26 de setembro, pelas 10h00, terá lugar uma pequena conversa sobre o tema “O Património e Educação, a importância da sua conservação” e, no dia seguinte, os participantes vão fotografar cinco fontanários à sua escolha.

 

As fotografias serão enviadas por email e colocadas na página oficial do Museu de Santa Maria, juntamente com a ficha de identificação, até ao final do mesmo dia ou, por opção, no dia 28 de setembro até às 12h00.

 

O Museu Francisco de Lacerda, em São Jorge, promove sábado, 26 de setembro, no polo da Igreja de Santa Bárbara, o evento “Preservação e Conservação da Igreja de Santa Bárbara”.

 

A atividade pretende demonstrar o processo de higienização documental dos livros paroquiais, através da participação ativa do público nesse processo.

 

Com esta iniciativa pretende-se sensibilizar para o papel do património na educação e, simultaneamente, para o papel da educação na preservação e conservação do património documental.

 

Na ilha do Faial, o Museu na Horta promove sexta-feira, 25 de setembro, em colaboração com a Câmara Municipal, uma subida à Torre do Relógio, imóvel de construção inicial do século XVIII, contiguo à primeira Igreja Matriz da Horta.

 

Nesta subida, os participantes terão a oportunidade de conhecer a história deste monumento da cidade e da sua área envolvente – Largo D. Luís I, Jardim Florêncio Terra e Mirante da Conceição.

 

Esta ação destina-se ao público escolar e funcionará por marcação, que deve ser feita através do email [email protected] ou do telefone 292 202 576.

 

Por seu turno, o Museu da Graciosa inaugura a 25 de setembro a exposição de fotografia “Aquedutos de Portugal – Água e Património”, da autoria de Pedro Inácio.

 

A exposição é constituída por 13 fotografias de aquedutos de todo o país, originando um levantamento fotográfico realizado para um trabalho de investigação sobre os sistemas antigos de abastecimento de água, construídos predominantemente entre os séculos XVI e XIX.

 

Para assinalar as Jornadas Europeias do Património de 2020, e atendendo ao momento pandémico atual, o Museu das Flores, numa parceria com o Parque Natural da Ilha das Flores e o Serviço do Desporto da Flores, vai dinamizar domingo, 27 de setembro, um percurso pedestre por antigos caminhos rurais, fragmentos da antiga estrada real, entre os Cedros e a Ponta Ruiva.

 

Durante o percurso serão apresentadas as particularidades patrimoniais e ambientais presentes no trilho, as alterações da paisagem por força da intervenção humana que teve que ‘moldar’ a natureza às suas necessidades.

 

Nestes eventos serão observadas as medidas vigentes de prevenção da COVID-19, pelo que todos os interessados deverão apresentar-se de máscara, considerar as indicações de lotação dos diferentes espaços e manter o distanciamento físico e a etiqueta respiratória.

 

A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereço www.culturacores.azores.gov.pt.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO