Início da época confirma carências habituais das zonas balneares

0
15
DR

O PSD de Angra do Heroísmo denunciou hoje “as más condições dos espaços e equipamentos das zonas de balneares em todo o concelho”, considerando mesmo que, “nessa matéria, acreditamos que seja o pior de todos os concelhos dos Açores”.

A concelhia presidida por João Ormonde afirma que “os repetidos anúncios de investimentos nas zonas balneares não passam afinal de meras intervenções de manutenção, insuficientes e quase sempre de péssima qualidade nos materiais e na mão-de-obra, não cumprindo sequer com parâmetros de qualidade mínimos”, acusam.

E dá como exemplo “o revestimento do solário do Negrito, executado no ano passado. O Negrito é, aliás, um caso paradigmático, onde a suposta piscina fica à sombra e sem água com a descida da maré, mas sendo que a penúria se verifica a todos os níveis e por todo o concelho”, adiantam os social democratas.

O PSD local lamenta igualmente que, “ao contrário da Praia da Vitória, que alargou a época oficial para quatro meses – agora com início a 1 de junho e fim a 30 de setembro – Angra continue fiel à tradição, mantendo o período de 15 de junho a 15 de setembro, ignorando as evidentes alterações climáticas e os novos hábitos dos banhistas”, frisam.

“Isso é grave, nem que seja do ponto de vista da segurança, uma vez que não estarão devidamente preparadas as condições de utilização, nem existem meios de socorro quando as zonas balneares já têm muita gente”, alertam.

A concelhia angrense do PSD diz que “são precisos investimentos a sério para requalificar condignamente as zonas balneares, dotando-as de condições de segurança, acesso e utilização assim como de equipamentos modernos”.

“Importa ainda ir além da qualidade da água do ponto de vista microbiológico, e procurar soluções que contrariem a infestação de outros organismos celenterados como medusas e caravelas, que põem em perigo os banhistas”, propõem.

Apontando igualmente “uma aposta na qualidade das águas a todos os níveis, na melhoria das acessibilidades, na segurança, no lazer e no bem-estar das pessoas”.

“É tempo de olhar para estes espaços como lugares de promoção turística, mas também como uma oferta de excelência e qualidade aos terceirenses, que nesta matéria bem merecem”, defende a equipa liderada por João Ormonde.

“A desejada administração criteriosa dos meios públicos não pode obstar ao investimento. É possível e desejável maior e melhor intervenção pública nestes espaços, sem descartar de todo parcerias com privados que garantam mais-valia na sua participação”, concluem os social democratas.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO