Os Guardiões da nossa Natureza

0
7
Pedro Neves
Pedro Neves

Desde a sua génese, o Corpo de Vigilantes da Natureza tem vindo a honrar a missão e compromissos assumidos na protecção da natureza e da biodiversidade em vários territórios e frentes, em Portugal continental, na região Autónoma da Madeira e nos Açores.
A actividade dos Vigilantes da Natureza manifesta-se em múltiplas vertentes de intervenção. Estes profissionais estão na primeira linha na fiscalização e resolução dos problemas ambientais nas nossas ilhas, desempenhando acções de sensibilização e literacia ambiental, de vigilância e recuperação de espécies e habitats, prestando, também, informações a turistas sobre as nossas áreas protegidas, os trilhos e paisagens naturais que poderão conhecer.
Embora nem sempre reconhecidos, os Vigilantes da Natureza têm realizado um trabalho notável na nossa região. Têm contribuído e logrado esforços na manutenção, recuperação e preservação da fauna e flora silvestres, efectuando uma monotorização eficaz de espécies e habitats com impacto local, como se verifica com o priolo, cagarro e painho-de-monteiro, por exemplo.
É ainda mais notável e de ressalvar o trabalho dos Vigilantes da Natureza, quando este se desenvolve, muitas vezes, em zonas topográficas desafiantes, cujo relevo do terreno dificulta o acesso e coloca em risco a integridade física destes profissionais.
Estes profissionais personificam as autênticas sentinelas do equilíbrio natural da paisagem na Região, são exímios conhecedores das áreas geográficas, desenvolvendo obstinadamente, patrulhamentos terrestres e marítimos em estreita colaboração com as comunidades, empresas e autoridades locais.
A sua função, no entanto, estende-se para lá da fiscalização do cumprimento das regras e limites dos planos de ordenamento. Os Vigilantes da Natureza desempenham funções de sensibilização e literacia junto da população, vigilância das actividades humanas com impacto na preservação da natureza, fiscalização do cumprimento da legislação vigente e monitorização sobre o estado do património natural e evolução de espécies protegidas. Têm a nobre função de promover uma relação mais próxima e sinergética entre as populações e a própria natureza, trazendo-a para o palco principal na tarefa, que compete ao ser humano, da sua conservação.
Mesmo sem desconsiderar as medidas já implementadas na nossa Região, ao nível dos recursos humanos, das estruturas e da formação, não deixa de ser notória a insuficiência e inadequação de meios e equipamentos que os Vigilantes da Natureza têm à sua disposição para que consigam assegurar qualidade e celeridade na execução das suas funções.
Por isso, esta semana iremos apresentar na Assembleia Regional, a aquisição de viaturas para colmatar as necessidades existentes para um melhor desempenho deste nossos Vigilantes.
Os Vigilantes da Natureza são determinantes na defesa do nosso património natural e ambiental, e para que ele se mantenha, o mais possível, intacto e salubre, apto a ser apreciado pela nossa geração e vindouras, será necessário munir-lhes de meios capazes de assegurar essa defesa!
Capacitar o Corpo de Vigilantes da Natureza é aumentar a capacidade de resiliência da nossa natureza, que nos envolve, que nos rodeia, que fazemos todos parte dela. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO