Os novos 230

0
12
Rui Martins
Rui Martins

Tivemos no passado dia 30 as eleições para eleger os novos 230 deputados à Assembleia da República (AR). Permitam-me que me debruce primeiro sobre o elefante na minha sala, o desaparecimento do CDS na AR. Confesso que nunca pensei que isso viesse a acontecer, independentemente de em todas as eleições se falar nesse cenário e mais recentemente ainda mais. Mas o facto é que, mesmo tendo um número considerável de votos a mais que PAN ou Livre, não elegeu.

Podia discorrer sobre os motivos, desde o sistema eleitoral que desconsiderou nestas eleições mais de 650 mil votos (mas que o CDS, na República, também nunca alterou, talvez porque fazia à época parte dos interessados), às quezílias internas do partido ou à liderança não ter conseguido passar a mensagem e a relevância do CDS. Não vou maçar os leitores com essa análise, considero mais importante reforçar o que se perde na realidade com esta saída da AR de um partido fundador da Democracia em Portugal.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura