Os números são como o algodão, não enganam

0
32

1. Passados 6 meses tive acesso a documentos oficiais sobre as operações da Azores Airlines para a Horta, Pico e Santa Maria respeitantes ao ano de 2016. Nelas é possível observar que foram cancelados para o Aeroporto da Horta 42 voos e além destes foram divergidos 26 voos para outros Aeroportos.Todos aqueles que divergem para o Pico não entram nas nossas contas, pois os passageiros chegam de barco, e em muitos dos cancelamentos os passageiros são reencaminhados noutros voos para Ponta Delgada e Terceira, contando para a estatística do Aeroporto mas não para a rota Horta-Lisboa-Horta.
Em setembro a administração da SATA não mencionou os 23 voos que haviam, até aquela data, divergido do nosso Aeroporto, não interessava. Nos documentos também é possível observar o número de voos efetuados para os referidos Aeroportos: Horta 633, Pico 252 e Santa Maria 206, o número de passageiros transportados foi o seguinte: Horta 76871, Pico 27247 e Santa Maria 11897 o que dá uma taxa média de ocupação anual de: Horta 75%, Pico 68% e Santa Maria 36%, estes números não enganam, a nossa rota é procurada, tem a maior taxa de ocupação das rotas com Obrigações de Serviço Público, 75% é uma taxa muito boa em aviação, embora a tarifa média anual seja superior às duas outras rotas, Horta 94.61€, Pico 89,00€ e Santa Maria 80,96€. Já no que respeita a carga e correio transportado as diferenças positivas em relação aos outros Aeroportos é abissal: Horta 472,2 toneladas, Pico 69,6t e Santa Maria 61,4t. Os números falam por si, e as OSP não são atrativas, imaginem se fossem, e se a SATA promovesse a nossa rota como promove outras, em vez de andar a dizer que a mesma só da prejuízo? Eu ainda pensei depois de ver a entrevista do Presidente da SATA à RTP-Açores que a nossa rota era mesmo a ruína da SATA, agora que tenho acesso a estes números pergunto: Qual era a intenção? Isto deixa me indignado porque eu próprio na altura fiquei com a ideia que a nossa rota andava vazia e que não tínhamos razões para nos queixarmos, e agora vejo os números e sinto-me completamente enganado por quem devia defender as 9 ilhas por igual, espero eu e os faialenses mudanças nos comportamentos e na promoção do destino Faial e Triângulo.

2. O tamanho da pista do Aeroporto do Montijo, alternativa ao de Lisboa, é insuficiente para a descolagem de alguns aviões de grande porte, foi hoje revelado numa reunião do Conselho Metropolitano de Lisboa.
Os dados foram revelados pelo primeiro secretário da comissão executiva da Área Metropolitana de Lisboa (AML), Demétrio Alves, que deu conta ao órgão político da AML dos resultados de uma reunião mantida com a ANA – Aeroportos de Portugal, acerca do desenvolvimento da capacidade aeroportuária na região de Lisboa.
Demétrio Alves destacou que a ANA lhe transmitiu esta preocupação acerca do tamanho da pista 01/19 do Montijo, que será usada como alternativa ao aeroporto Humberto Delgado, e que tem 2.147 metros de comprimento, o que “é insuficiente” para a descolagem “de alguns aviões de grande porte”. “Para aterrar, quase todos os aviões aterram aqui. O problema é descolar. Não dá nem para o Boeing 737, nem para o Airbus 320, nem para o Airbus 322”, disse, salientando que foi “referido como altamente provável a necessidade de extensão da pista do Montijo”.
A Pista da Horta só tem 1595 metros, se a pista do Montijo com 2147m não serve para a aeronave Airbus A320, que escala o nosso Aeroporto, então mãos à obra, se faltassem argumentos estes vieram da própria ANA/VINCI. Falta agora a ANAC reconhecer o mesmo para a Horta. Para aqueles que ainda não perceberam o porquê da nossa reivindicação ficam desta forma explicados os nossos motivos, aliando que há ainda a falta das zonas RESA no nosso caso, o que torna a situação mais preocupante e justificável. E sinceramente, já começo a ficar farto de ouvir pessoas a defender que as aeronaves é que tem de ser mais pequenas e não a Pista ser acrescentada, que raio de faialenses são vocês? Deixem de colocar os vossos interesses partidários e pessoais à frente da vossa ilha.
No próximo artigo espero que já esteja disponível para consulta, e para desmistificar fantasmas, o trabalho do grupo criado pela Câmara Municipal da Horta. Espero que o mesmo seja a alavanca final para que o processo se encaminhe para o seu términus, o lançamento de um concurso Internacional para a execução da obra.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO