Os regressantes

0
19
Victor Rui Dores
Victor Rui Dores

“Ah! Ovo que deixei bicado e quente.
Vazio de mim, no mar,
E que ainda hoje deve boiar – ardente Ilha!
E que ainda hoje deve lá estar!”

Vitorino Nemésio, “O canário de oiro”, O Bicho Harmonioso, 1938

Saímos da ilha, mas a ilha não saiu de nós. Ela navega dentro de nós e em nós deixou uma memória indelével e retroativa. Território de magia, beleza, sedução e mistério, a ilha é o nosso microcosmo de referência, o nosso roteiro sentimental e afetivo, a nossa lembrança em carne viva. Por isso ela será sempre o nosso regresso a casa, o nosso retorno às origens.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO