Passaporte de Vacinação pode restabelecer viagens sem restrições, defende Lara Martinho

0
32
DR/PS
DR/PS

A deputada do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República defendeu, no decorrer de uma reunião com o Parlamento Helénico, que a criação de um Passaporte de Vacinação pode ser um importante passo para o retorno às viagens seguras no futuro, permitindo desta forma o restabelecimento “das viagens sem restrições” e contribuindo para “ajudar, especialmente, as indústrias de viagens e de turismo”.

Lara Martinho, que participava na reunião conjunta entre a Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas e a Comissão de Negócios Estrangeiros do Parlamento Helénico, relembrou que a criação de um Passaporte de Vacinação, proposto pelo governo Grego, é uma das medidas que está a ser equacionada em Bruxelas, “no sentido de suavizar o impacto económico nos países mais dependentes das viagens e do turismo, como seja o caso da Grécia, mas também o caso de Portugal”.

Nesse sentido, e frisando que a Grécia já iniciou esta experiência com Israel, a parlamentar socialista questionou os deputados gregos quanto à forma como tem decorrido, perguntando sobre os seus principais desafios, mas também benefícios.

Para Lara Martinho, a resposta a um desafio global como é a pandemia provocada pela Covid-19 passa por uma resposta multilateral, daí que tenha defendido, na ocasião, a importância de se continuar a investir fortemente nesta matéria, não só como medida de combate à pandemia, mas também “para enfrentar problemáticas como a crise migratória ou a estabilização do Norte de África”.

A parlamentar socialista relembrou ainda, no decorrer da reunião, os desafios que enfrentam os países do sul da Europa, mencionando “a questão do Mediterrâneo oriental; a pressão migratória e a importância de existir uma política comum de imigração; a estabilização política no Norte de África, em particular na Líbia e as consequências das dificuldades económicas”, como sendo problemas que se aprofundaram com a situação provocada pela Covid-19.

Lara Martinho manifestou ainda a sua solidariedade para com a Grécia, ao considerar de “ilegal e agressiva” a atuação da Turquia para com este país, “colocando em causa a soberania do Chipre e da Grécia, ao iniciar prospeções ilegais em águas disputadas”. Na ocasião, a parlamentar portuguesa manifestou ainda o desejo de que haja uma mudança no comportamento da Turquia, a fim de que as negociações que se encontram a decorrer possam se traduzir em bons resultados.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO