Peixes dos Açores vão para Oceanário em Istambul

0
8

A Flying Sharks é uma empresa portuguesa, liderada por portugueses que, desde 2008 se dedica à captura de animais marinhos vivos e ao seu transporte em segurança para os oceanários de todo o mundo. Já capturou mantas, raias, corvinas e várias espécies de tubarões.  

O primeiro transporte realizado por esta empresa foi uma manta, para o Oceanário de Valência o ano passado. Esse processo foi acompanhado por um biólogo do Georgia Aquarium e valeu-lhes um convite para transportarem 8 mantas para aquele que é considerado o maior oceanário do mundo (tem três tubarões baleias no seu tanque principal, designado Ocean Voyager). Depois seguiram-se transportes para Reino Unido, Turquia, Africa do Sul e até Austrália.

As raias são mais exigentes quanto à qualidade da água, que tem que ser mantida sempre em condições óptimas
 

Em meados de Dezembro, vão transportar cerca de 45 espécies de peixes da ilha do Faial, para um oceanário em Istambul.
A
empresa nasceu de um interesse comum pelas espécies marinhas, de 2 amigos, ambos biólogos: José Graça e João Correia. Foi em 2006 que se lançaram por conta própria e já transportaram mais de 3500 animais para oceanários de países como a Alemanha, os Estados Unidos ou o Japão.  

Nos contentores, os peixes são mantidos em tanques preparados especialmente para transporte

Durante os 4 anos de vida da empresa, orgulham-se de só ter morrido um peixe durante o transporte. Serve-lhes a experiência de vários anos de trabalho no Oceanário de Lisboa, onde também fizeram alguns transportes.  
Apesar de serem uma organização com fins lucrativos, garantem que este trabalho também tem objectivos de preservação da vida marinha.  

Os foliões aproximam-se da superfície sempre que estamos junto do tanque, à espera que caia mais um pouco de alimento

Em 2008, instituíram um Fundo que apoia trabalhos de investigação e doutoramento através da atribuição de bolsas de estudo ligadas ao universo marinho.  

Na Horta este projecto é liderado pelo biólogo Telmo Morato, com que Tribuna das Ilhas esteve à conversa.

 

As moreias são uma das principais atracções para quem nos visita

Todas as actividades que são desenvolvidas no Faial têm o apoio e cooperação da Secretaria Regional das Pescas, APTO e pescadores locais que têm trazido espécies vivas para o projecto, ou seja, é um projecto aberto à comunidade.

 

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA NO TRIBUNA DAS ILHAS DE  5 de Novembro

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO