Porto da Horta

0
31

É indubitável não pensar que existem duas infraestruturas que são absolutamente essenciais para o desenvolvimento da nossa ilha: o aeroporto e o porto.
Numa altura em que se apregoa o mar como vector de desenvolvimento dos Açores, mormente da ilha do Faial, e em que as atividades económicas e turísticas da ilha e da Região estão centradas neste setor e o Porto e a Marina da Horta são palco de grandes eventos e em que, no outro lado da balança, temos o turismo como o outro elemento potenciador do Faial, parece-nos que está na hora de se falar a sério sobre estes assuntos.
Sai concurso, sai pedra, entra pedra, entra RISE, sai voo, entra voo, sai manifestação, entra petição e a verdade é que não é feito nada em concreto. E, como diz o ditado, palavras leve-as o vento.
Quando pensamos que, “finalmente vamos ter obra no Porto”, eis que o concurso fica deserto. Eis que já há quem não goste do projeto… não somos contra, atenção, a que as pessoas dêem a sua opinião, mas causa-me “aparência”, que enquanto o projeto esteve em fase de debate público, ninguém se tenha manifestado. E agora? É isto que andamos a tentar saber junto dos responsáveis da Portos dos Açores mas sem sucesso…
Temos que ter em mente que o Porto da Horta teve uma grande importância histórica, ao longo dos séculos, tendo assistido à primeira travessia transatlântica entre os EUA e os Açores pelo NC4 de Albert Read que amarou na nossa baía, ou mesmo a Batalha do Brigue General Armstrong, que transportava o célebre canhão Long Tom, que comemorou 200 anos, em 2014 ou o próprio fenómeno da baleação.
O mar tem sido, desde sempre, o motor da ilha e, o Porto da Horta e a marina são por isso desde há muitos anos dos mais movimentados do país.
A pergunta que se coloca é: os faialenses querem esta obra? Querem melhorar o Porto Comercial? O Faial precisa disto?
Parece-me que sim! Vamos então tentar encontrar consenso. Ver o que está previsto e, se for para alterar, “mexer os pauzinhos” para que não tenhamos que esperar mais 4/5anos a que seja lançado o concurso que, corremos o risco, de ficar deserto.

[email protected]

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO