Projecto Limpar Portugal no Faial – Faltaram mãos para ajudar

0
16

No passado sábado São Pedro deu uma mãozinha às dezenas de voluntários que deitaram mãos à obra para limpar o Faial, no âmbito do projecto Limpar Portugal.

Foram recolhidas cerca de 75 toneladas de lixo por toda a ilha, no entanto muito mais ficou por recolher, como consideram os responsáveis pelo projecto, que se deparou com graves problemas ambientais. No balanço, apensar de orgulho pelo trabalho feito, Rosa Dart, coordenadora do projecto na ilha, lamenta a baixa adesão dos faialenses à iniciativa.

 

Tribuna das Ilhas esteve a acompanhar o processo de limpeza na freguesia da Matriz. Uma das voluntárias, Teresa Ribeiro, explicou à nossa reportagem as suas motivações: “é uma questão de consciencialização ambiental; é o nosso dever proteger as gerações futuras”, lembra, frisando que o lixo recolhido não será deteriorado pela natureza, portanto, se não fosse a acção destes voluntários, continuaria a manchar a paisagem por muitos anos. Teresa confessa que a quantidade de lixo que o projecto encontrou a deixou algo surpreendida: “depois de me envolver neste projecto é que comecei a perceber que havia muito lixo por aí”, refere.

No final da iniciativa, Rosa Dart era uma mulher orgulhosa do muito trabalho que tão poucos conseguiram realizar. No entanto, a coordenadora não escondeu alguma tristeza pela fraca adesão dos faialenses a esta causa. Numa ilha com 15 mil habitantes, apenas cerca de 80 saíram de casa para limpar o quintal comum de todos no passado sábado.

“Estávamos à espera de uma participação muito maior. Houve freguesias bastante preenchidas, mas houve outras que não tiveram praticamente ninguém da freguesia a limpar”, revela.

Para a coordenadora, a falta de consciencialização ambiental das pessoas é grave, e reflecte-se não apenas pela pouca adesão à iniciativa, mas, principalmente, pela enorme quantidade de lixo encontrada, nesta ilha que se pretende promover no exterior em grande parte pela sua qualidade ambiental cuja saúde, afinal, não é tanta como se poderia pensar.

As 75 toneladas recolhidas no sábado representam apenas um terço daquilo que os voluntários pretendiam recolher. Os outros dois terços continuam aí, bem como todo o restante lixo que o projecto não conseguiu referenciar.

ROSA DART A coordenadora está satisfeita com a mensagem transmitida