Projeto para Porto de Santa Iria, em S. Miguel, assegura condições de segurança necessárias, afirma Diretor Regional dos Assuntos do Mar

0
15
DR/GACS

O Diretor Regional dos Assuntos do Mar afirmou que o novo projeto concebido para a intervenção a realizar no Porto de Santa Iria, na freguesia da Ribeirinha, em São Miguel, “acautela todas as condições de segurança necessárias”.

“Os vários projetos concebidos para a recuperação do porto e do acesso não obtiveram parecer positivo do Laboratório Regional de Engenharia Civil (LREC) relativamente à segurança dos utentes”, referiu Filipe Porteiro.

“Após diversos contatos técnicos mantidos entre a Direção Regional dos Assuntos do Mar, o LREC e o gabinete projetista, foi possível contratar um projeto que satisfaz o usufruto daquele local em segurança”, acrescentou.

Filipe Porteiro falava quarta-feira no final de uma reunião com o Presidente da Junta de Freguesia da Ribeirinha, para apresentação do novo projeto de intervenção no Porto de Santa Iria.

“O projeto está praticamente pronto”, referiu, acrescentando que “era impreterível ter o aval técnico do LREC em questões de segurança”.

A obra de reabilitação e proteção marítima do Porto de Santa Iria tem dois objetivos, nomeadamente a salvaguarda e preservação do património daquele antigo porto baleeiro e a proteção de pessoas no acesso àquela infraestrutura.

O projeto prevê “a consolidação e reconstrução do portinho que, devido à ação do mar, está a sofrer danos estruturais que poderão levar ao seu desaparecimento”, disse Filipe Porteiro, referindo que aquela infraestrutura portuária tem “um grande significado” para a população da costa norte de São Miguel.

No que respeita à proteção de pessoas e bens, o Diretor Regional referiu que se pretende “criar condições de segurança para a melhor visitação do local, considerando que aquela zona apresenta uma condição geomorfológica muito própria, que levou precisamente à sua interdição”.

A obra prevista inclui a reconstrução do terrapleno e da proteção aderente, a norte, a consolidação da muralha de pedra existente, a sul, a reconstrução do património, com a consolidação e reconstrução da rampa de pedra existente, e a proteção de pessoas e bens no acesso ao porto, com a criação de uma vala de dejeção de material da arriba bem como a construção de proteções em betão armado (em túnel), na zona mais crítica.

“O projeto deve estar concluído até final deste ano, com previsão de execução da obra assim que o próximo Quadro Comunitário de Apoio estiver disponível, num valor de investimento de cerca de 700 mil euros”, adiantou o Diretor Regional.

“Temos estado a trabalhar para encontrar uma solução duradoura para aquele porto, que privilegie, acima de tudo, a segurança dos seus utilizadores”, afirmou Filipe Porteiro.

Recorde-se que, após uma análise cuidada dos técnicos do LREC ao projeto de intervenção previsto para o Porto de Santa Iria, elaborado em 2014, concluiu-se que era necessário proceder à sua revisão, a fim de serem assegurados todos os requisitos de segurança para o acesso e usufruto àquele porto.

O projeto foi alvo de revisão, com base em soluções técnicas alternativas, com vista à recuperação e usufruto daquele património pela população, em condições de segurança, e tendo em conta a comportabilidade financeira da intervenção.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO