Projeto piloto de assistência a banhista foi bem-sucedido

0
11

A Associação de Municípios do Triângulo (AMT) desenvolveu um projeto de assistência aos banhistas – SEAWATCH, para a época balnear 2014.

Esta actividade decorreu de 1 de julho a 15 de Setembro e teve como objetivo primordial desenvolver uma cultura de segurança balnear.

A assistência aos banhistas em zonas balneares não vigiadas é feita através da disponibilização de equipamentos básicos de salvamento, com a presença de nadadores salvadores e de uma carrinha de assistência devidamente equipada.

Segundo o  Presidente da AMT, José Leonardo Silva, o balanço deste projeto foi positivo e “atingiu os seus objetivos”, revelou o presidente na apresentação dos resultados desta iniciativa, que decorreu na manhã do passado dia 30 de setembro, no Centro da Mar, Antiga Fábrica da Baleia.

Presentes nesta apresentação estiveram o Presidente da Câmara de São Roque, o Capitão do Porto da Horta e o diretor da Transmaçor, parceiros desta Associação e elementos fundamentais na execução deste projeto.

José Leonardo Silva referiu que, com esta atividade, a AMT pretende também “aumentar a qualidade do turismo no triângulo”, uma vez que estas zonas são muito procuradas por turistas.

Sendo este um projeto-piloto, existe ainda algumas lacunas que a Associação pretende colmatar, como é o caso da aquisição de mais uma carrinha de assistência, a formação de mais nadadores-salvadores e o melhoramento de sinalética nestas zonas.

Atualmente existem 65 zonas balneares na zona do Triângulo e muitas outras zonas de acesso ao mar não definidas, que carecem de assistência, o que torna ainda mais importante a implementação desta cultura de segurança balnear junto dos banhistas.

No período de 1 de julho a 15 de setembro, a carrinha equipada para o efeito “teve 58 dias de empenhamento efetivo, dos quais 18 na ilha do Faial, 25 na ilha do Pico e 15 na ilha de São Jorge”, distribuídos “em função do número de acessos ao mar e da afluência às zonas balneares, o que nem sempre foi fácil”, referiu o Capitão do Porto da Horta. Os tripulantes da carrinha “tiveram participação direta em 11 ações de salvamento, nomeadamente uma em São Jorge, seis no Faial e quatro no Pico” revelou ainda o Capitão.

Este é um projeto que a AMT pretende continuar a implementar e desenvolver no futuro.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO