Protótipos únicos a nível mundial na área da Climatologia testados na Graciosa

0
8

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia destacou hoje “a importância a nível internacional” da estação ARM, de medição da radiação atmosférica, instalada na ilha Graciosa, para a investigação e recolha de dados científicos no domínio da Climatologia.

 

Gui Menezes adiantou que, desde a sua instalação, este projeto se traduz, “em termos de infraestruturas e do equipamento base instalado, num investimento de cerca de 10 milhões de euros”, acrescentando que, anualmente, “tem um impacto de cerca de 900 mil euros na economia da ilha Graciosa”.

 

O Secretário Regional falava à margem de uma visita ao Observatório de Investigação Climática, no âmbito da visita estatutária do Governo à Graciosa.

 

A estação ARM (Atmospheric Radiation Measurement) é uma plataforma internacional de estudos climáticos avançados no Atlântico, que visa estudar as interações oceano/atmosfera, em particular ao estudo dos mecanismos microfísicos da formação e influência das nuvens marinhas sobre o clima atual, bem como a sua influência sobre o clima.

 

Este projeto resulta de um programa internacional promovido pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos, através do Laboratório Nacional de Los Alamos, e conta com o apoio do Governo dos Açores e com a parceria da Universidade dos Açores, através do Centro do Clima, Meteorologia e Mudanças Globais e da Fundação Gaspar Frutuoso.

 

O projeto ARM começou por ser uma estação móvel que passou depois a definitiva, o que, segundo Gui Menezes, “comprova a localização estratégica e a centralidade atlântica dos Açores” em áreas científicas como a Climatologia.

 

“Desse ponto de vista, devemos continuar a investir em áreas da ciência que diferenciem a nossa Região no contexto científico internacional”, frisou.

 

O Secretário Regional destacou o facto de os dados recolhidos na estação ARM “estarem disponíveis para a sua utilização”, lançando, por isso, “um repto” às universidades e aos investigadores de várias áreas para que “utilizem esta informação, que é bastante valiosa e que tem grande qualidade, e que é de livre acesso”.

 

O Governo dos Açores, através do Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, é responsável pelas licenças de importação temporária dos equipamentos científicos da estação ARM, sendo que muitos deles “são protótipos únicos que estão a ser utilizados e testados pela primeira vez”.

 

“Este é um dado relevante”, apontou Gui Menezes, acrescentando que “é curioso verificar que no espaço exterior da estação existem muitos equipamentos experimentais que as universidades podem solicitar para serem instalados no local para recolher diversos dados”.

 

“Através da estação ARM é possível trabalhar com a mais recente tecnologia ao serviço das ciências atmosféricas e do clima, numa estrutura de calibração e de validação de dados ao dispor da comunidade científica internacional”, referiu o Secretário Regional.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO